Carlos Bonifácio antecipa corrida a dois em Alcobaça

Carlos Bonifácio, candidato do CDS-PP à Câmara de Alcobaça, defendeu, este sábado, durante o debate público sobre as autárquicas organizado pelo REGIÃO DE CISTER, que a lista que lidera é a única alternativa à maioria social-democrata no concelho, o que lhe valeu críticas das restantes forças políticas.

O cabeça de lista salientou que a "definição de prioriedades" é a única diferença que tem em relação a Paulo Inácio (PSD) e que as eleições de 1 de outubro "se decidirão entre o CDS e o PSD".

"Paulo Inácio vai mudando de opinião e eu sigo o caminho que devemos seguir", criticou o cabeça-de-lista do CDS-PP. "Paulo Inácio começou por considerar que Fervença era prioridade, depois foi o MercoAlcobaça, depois passou para o Parque de Campismo e agora é a Avenida Professor Engenheiro Joaquim Vieira Natividade", acrescenta.

Em resposta, Paulo Inácio reagiu com humor à posição do antigo vice-presidente da Câmara: "graças a Deus que há mais diferenças". O autarca sublinhou querer cumprir mais um mandato, por entender que tem obra para completar. "Mesmo que se alterasse a lei de limitação de mandatos não me voltaria a candidatar. No primeiro mandato era importante fazer a recuperação financeira, no segundo era para negociar fundos comunitários e no terceiro será concluído o projeto e todas as obras necessárias. Eu é que garanto a mudança", rematou.

Durante o debate, que decorreu no Auditório da Biblioteca Municipal de Alcobaça, Rogério Raimundo (CDU) considerou ser a alternativa, mas pela esquerda. "A direita está dividida e chateada entre si", referiu o candidato da coligação, salientando que o investimento público em Alcobaça "tem de ser decidido por todos os munícipes".

Por seu turno, António Delgado (BE) defendeu a necessidade de "entrarem novas caras" na política local, disponibilizando-se para "ser uma voz das pessoas que querem ter uma Alcobaça mais digna, mais real e que seja uma referência no contexto regional, nacional e internacional".

Lúcia Duarte apelou "ao despertar de consciências" e aposta em "ser e fazer diferente" na política alcobacense. Se for eleita, a candidata do PDR compromete-se "em dar à população aquilo que ela precisa".

Já Cláudia Vicente (PS) pediu que o eleitores votem "num futuro melhor para o concelho" e apontou a revisão do PDM como uma prioridade. "O PDM, além de ser exigência social, é exigência económica para quem necessita de investir ou viver e ter qualidade de vida", concluiu.