Ceeria investe em requalificação das instalações

O Centro de Educação Especial, Reabilitação e Integração de Alcobaça (Ceeria) está a preparar três grandes obras de requalificação das suas instalações. 

A primeira intervenção a ser realizada será uma “obra de fundo” na sede da instituição, localizada no edifício do antigo administrador da Companhia de Fiação e Tecidos de Alcobaça, também conhecido por palacete cor de rosa.

Os projetos de arquitetura e especialidade para esta obra estão concluídos e a Direção do Ceeria decidiu, na passada segunda-feira, lançar o concurso público para a concretização da empreitada, que deve custar 425 mil euros. O presidente da Direção da instituição adianta que as obras deverão arrancar já em setembro, devendo prolongar-se durante seis meses.

“O edifício tem cerca de 100 anos e está em degradação acelerada”, frisa José Belo, referindo que as obras incluem a “substituição da cobertura, dos pisos interiores e reformulação de divisões”. Trata-se, portanto, “de uma intervenção de fundo” que vai “influenciar bastante o dia a dia” da instituição. O presidente da Direção do Ceeria revela ainda que durante as obras, a instituição, que dá respostas sociais diretas a cerca de 400 utentes, terá de “adaptar outros espaços para albergar as atividades quotidianas”.

José Belo dá conta, ainda, de outras intervenções nas instalações do Ceeria, nomeadamente a reabilitação do espaço do Centro de Atividades Ocupacionais, anexo ao palecete cor de rosa e a construção de um novo lar de residência autónomas, com capacidade para 20 pessoas, para complementar a unidade residencial que funciona no Lameirão.

O presidente da Direção do Ceeria dá conta, ainda, da intenção de a instituição se candidatar a fundos comunitários, no âmbito do programa operacional Centro 2020 e do Instrumento Financeiro Reabilitação e Revitalização Urbanas (IFRU 2020). Os três projetos somam um investimento de 1,2 milhões de euros.