Febre do padel chega a Alcobaça

Abriu as portas, este sábado, o Padel Clube de Alcobaça, projeto protagonizado por David Coelho, Bruno Rego, Helena Neto e Yaroslava Rego. O espaço, situado na Quinta do Almeida, tem como objetivo “proporcionar aos alcobacenses a possibilidade de praticar a modalidade”.

“Notámos que havia muitos participantes em Alcobaça e até há alguns que vão semanalmente a Lisboa para poder praticar”, adiantou Bruno Rego. O empresário espera cativar uma boa parte deles a “bater umas bolas” em casa. Uma vez que o padel é um “desporto social”, o clube alcobacense espera poder trabalhar com várias empresas numa “lógica de team building”. “Estas ações entre colegas e trabalhadores de uma empresa está muito em voga e como o padel é um desporto amigo dos iniciantes pode estar aqui uma oportunidade de negócio”, refere Bruno Rego.

O padel não é apenas um desporto, pode ser, também, um motivo para reunir um grupo de amigos e conviver. “O padel é um desporto com uma vertente muito social”, refere David Coelho. O turquelense garante ser “fácil” começar a praticar esta modalidade: “quem já jogou raquetes na praia está apto para experimentar”, acrescenta, garantindo não haver idades mínimas ou máximas para praticar.

As regras do padel são, também, muito semelhantes à do ténis. “O sistema de pontuação é igual e o campo é uma versão mais pequena de um campo de ténis”, começa por explicar Bruno Rego. A pequena, mas significativa diferença, é que um campo de padel é “fechado” e os jogadores podem interagir com as “paredes” e utilizar as tabelas para devolver a bola para o campo adversário.

O clube tem dois campos de padel e toda a estrutura de apoio, um espaço de bar e uma loja de artigos desportivos. Os campos funcionam por sistema de reserva, entre as 9 e as 24 horas.