Nova ONG pretende educar população sobre boas práticas

Educar a população do concelho de Alcobaça para as boas práticas ambientais é um dos objetivos do movimento Tolerância Zero para Irresponsável Governação e Gestão Ambiental (TZpigA), uma Organização Não Governamental (ONG) que já está no terreno.

Uma das primeiras ações do grupo foi desencadeada no mercado de Pataias, onde os responsáveis do TZpigA procuraram convencer os vendedores a deixarem de oferecer sacos de plástico. “Propusemos que vendessem os sacos aos clientes ou, em alternativa, que os emprestassem por um valor simbólico. Ou que pedissem aos clientes para trazerem os sacos de casa”, esclarece Ana Ferreira, uma das dirigentes da ONG, que inclui cidadãos de Alcobaça e de outros concelhos do Oeste.

“Não queremos cingir a nossa atividade ao concelho de Alcobaça, até porque estas matérias passam as fronteiras dos municípios”, frisa a investigadora, que reside na Praia da Légua, na freguesia de Pataias e Martingança, onde se radicou.

A iniciativa no mercado de Pataias “teve pouca aceitação” entre os comerciantes, admite Ana Ferreira, que elogia o único vendedor que aceitou contribuir para a ação. Trata-se de um comerciante de origem cachemire, que “percebeu a dimensão do problema da poluição causada pelo uso de plástico e que, nessa medida, resolveu contribuir para uma gestão de resíduos mais eficaz, mesmo tendo perdido clientes”.

“O nosso objetivo passa por educar as pessoas, porque acreditamos que a maior parte dos problemas se reside à falta de informação dos cidadãos”, salienta Ana Ferreira, que trabalha metade do ano no nosso País e a outra metade na Índia, onde fundou uma ONG e se deparou com esta questão a uma escala “gigantesca”.

“Temos um grupo de pessoas interessadas em trabalhar no sentido de explicar às pessoas que a não separação do lixo é uma prática insustentável. Estamos muito motivados e queremos mudar este estado de coisas”, sublinha.