Parque de campismo de Alcobaça vai poder receber autocaravanas

A Assembleia Municipal de Alcobaça aprovou por unanimidade o regulamento de funcionamento e utilização da área de serviço para autocaravanas na cidade de Alcobaça.

A gestão do parque vai ser assumida pelo município e as tabelas de preço serão decididas pelo executivo municipal. Segundo o regulamento, o espaço destina-se “exclusivamente ao estacionamento e pernoita de autocaravanas”. No entanto, o regulamento estipula que a utilização enquanto parque de caravanismo “não prejudica a fruição pública do espaço verde” da infraestrutura.

O deputado Rui Alexandre (PS) defendeu a escolha de outro espaço para o caravanismo na cidade. “O espaço que existe é nobre e de excelência mas é curto. As próprias infraestruturas não são as desejáveis para um parque de caravanismo”, referiu o presidente da Comissão Política Concelhia de Alcobaça do PS. Além disso, o deputado municipal considera que “os poucos lugares que existem” no antigo parque de campismo não dão resposta “ao aumento da afluência de turistas na região”.

Por sua vez, Maria Clementina (CDU) questionou o presidente da Câmara de Alcobaça em relação aos preços a praticar no parque de caravanismo. Já Eduardo Nogueira (CDS), perguntou ao chefe do executivo municipal se se pode “deduzir e assumir que aquele espaço não vai funcionar como parque de campismo”. O deputado lamentou o “apagão” da União de Freguesias de Alcobaça e Vestiaria (UFAV), a quem o município ofereceu a gestão do espaço, no debate. Isabel Fonseca (UFAV) esteve presente na Assembleia Municipal mas estava ausente durante a discussão sobre o regulamento.

Em resposta, o presidente  da Câmara de Alcobaça garantiu que a “limitação de lugares não é assim tanta”, garantindo “cerca de 20 lugares de estacionamento” para autocaravanas. Em relação ao preço, Paulo Inácio não se quis “comprometer” mas segundo a análise de mercado que o município está a realizar, a tabela de preços deverá “rondar os três euros por noite”. “Devido a questões contratuais com Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro não está prevista, pelo menos nos próximos anos, a utilização para campismo” daquele espaço, conclui o chefe do executivo municipal.