PSD apresenta-se com "A força da união" na Nazaré

O PSD apresentou, este sábado, os cabeças de lista com que vai enfrentar as próximas eleições autárquicas na Nazaré, sob o lema "A força da união", numa alusão à candidatura que reúne militantes social-democratas e elementos dos movimentos NazaréViva e Grupo de Cidadãos Independentes.

Alberto Madaíl será o candidato à Câmara, contando com António Trindade como número 2, enquanto Joaquim Pequicho, líder local do partido, será o cabeça de lista à Assembleia Municipal.

José Paleco vai tentar recuperar a Junta da Nazaré e o PSD lança os nomes de Mário Paiva Santos para Valado dos Frades e Susana Ferreira para Famalicão.

Num discurso marcado por críticas contundentes ao que classificou de "arrogante e autoritária gestão autárquica" do socialista Walter Chicharro, o candidato social-democrata à presidência da Câmara anunciou que, caso seja eleito, os funcionários da Nazaré Qualifica que foram despedidos serão readmitidos e apontou como prioridades "a manutenção dos postos de trabalho dos funcionários" da autarquia, a "criação de emprego e combate ao desemprego" no concelho. Criticando o "frenesim de obras públicas em fim de mandato", Alberto Madaíl garantiu, ainda, vontade de acabar com o "calvário" causado pelas obras de requalificação da marginal e uma mudança na forma de gerir o município, "sem demagogia e propaganda barata só para iludir o eleitor".

Por seu turno, António Trindade alertou para a "necessidade" de travar algumas decisões da maioria socialista, nomeadamente o recente empréstimo ao Fundo de Apoio Municipal, que levarão "a 30 anos de impostos agravados" para os munícipes.

Já Joaquim Pequicho, denotou vontade de assumir um "projeto coletivo de todos e para todos", justificando a aliança do PSD, com a NazaréViva e o Grupo de Cidadãos Independentes. "Não importa de onde vieram, interessa é o que trazem", frisou o social-democrata, falando de uma candidatura que junta "juventude, experiência e competência".

O PSD vai tentar recuperar a gestão da Câmara da Nazaré, que assumiu por Jorge Barroso durante 20 anos, depois de há quatro anos ter tido a terceira pior votação de sempre (1.657 votos) no concelho.