A Saga do Soldado de Papel

Afetos, sentimentos e emoções

As lutas são terríveis. Temos que ser mais destemidos do que o “inimigo”. Para podermos ir ganhando algumas batalhas. Alguém me perguntava, hoje,numa das batalhas mais sangrentas desta “guerra”: Amigo Soldado de Papel “Porque será que o ser humano está a abandonar os afetos?”, “Como é que uma escola pode funcionar sem afetos?”. Respondi eu: meu amigo os afetos serão sempre úteis ao ser humano, a questão é saber dosear. O afeto, é um sentimento de amizade, carinho, afeição. Quando pensamos em afeto, pensamos em cuidado, aceitação, acolhimento, afago. O nosso papel é compreender o sistema e, se necessário, enfrentá-lo em busca de uma sociedade mais justa.

OS AFETOS TÊM A VER COM AQUILO QUE NOS AFETA, SÃO ALGO DE QUE SOMOS DOTADOS. EXPRIMEM-SE EM SENTIMENTOS E EMOÇÕES.

São tendências para responder positiva ou negativamente a experiências emocionais relacionadas com as pessoas ou objectos. Ter afetos é ser dotado da capacidade de dar e de receber, de amar e de ser amado, de perturbar e de ser perturbado. Os afetos exprimem-se através dos sentimentos e das emoções e têm uma ligação especial com o passado, com as experiências e vivências com as pessoas, objetos, ambientes e ideias. As emoções estão ligadas essencialmente a situações presentes.

Falar de afetos é falar de uma relação. Uma relação implica uma troca, em que se dá e se recebe, o que envolve sempre modificação dos elementos envolvidos. Nestas relações somos afetados pelos outros e afetamo-los. Os afetos que se estabelecem constroem a matriz da nossa vida pessoal e podem exprimir-se pelo amor mas também pelo desamor. A nossa sobrevivência psicológica funda-se nas relações interpessoais.

OS SENTIMENTOS NÃO SÃO OBSERVÁVEIS, SÃO PRIVADOS E RELACIONAM-SE COM O INTERIOR. PROLONGAM-SE NO TEMPO E SÃO DE MENOR INTENSIDADE DE EXPRESSÃO QUE AS EMOÇÕES. NÃO SE ASSOCIAM A NENHUMA CAUSA IMEDIATA. SURGEM QUANDO TOMAMOS CONSCIÊNCIA DAS NOSSAS EMOÇÕES.

Não dar afeto sistematicamente (recusar um abraço, um beijo, evitar carinho) é como deixar de alimentar o outro e isso poderá deixar marcas irreversíveis. Na escola há momentos positivos e negativos. Uma escola passa por fases de satisfação e de prazer, alternadas por fases de tristeza e desentendimentos as quais são reparadas através da compreensão e dos valores da tolerância, da amizade e do amor, sendo esta aprendizagem de extremo relevo na preparação adequada para se tornar um ser humano sociável e integrado. A tarefa de educar, adequadamente, um ser em formação não é uma tarefa fácil, exigindo de todos a capacidade para lidar com os conflitos gerados pelos impulsos imediatos das crianças e jovens, bem como das suas necessidades.

A EMOÇÃO TEM ORIGEM NUMA CAUSA, NUM OBJECTO. SÃO REAÇÕES CORPORAIS ESPECÍFICAS, OBSERVÁVEIS. SÃO PÚBLICAS E VOLTADAS PARA O EXTERIOR. SÃO AUTOMÁTICAS E INCONSCIENTES. PODEM SER NEGATIVAS OU POSITIVAS. VARIAM EM INTENSIDADE E SÃO DE BREVE DURAÇÃO. AS EMOÇÕES TÊM PRINCÍPIO E FIM.

As crianças e jovens necessitam de consolo, de braços que abracem, de ouvir histórias aconchegantes, de colo, de mimo, de um tom de voz agradável e suave, de sorrisos, de que sejam justos para com ela, que não a deixem fazer tudo aquilo que quer, que lhe digam sim mas igualmente não porque os limites devem ser entendidos desde cedo. Necessitam que os entendam e os incentivem a entender os outros, que os ouçam e que possam ouvir os outros, que lhes digam muitas vezes que as amam e o quão são importantes para que cresçam felizes.

De coração vos digo, vinde pois, antes que se faça tarde. Tragam para junto de nós aqueles que saibam ser confiantes para uma longa e dura “guerra” contra quem tem máquinas muito poderosas de “vender” imagens para público ver. Quem se juntar ao soldado de papel terá uma certeza pelo menos o uso da verdade.