CEIA aproveita hipismo para alavancar projeto turístico

Um investimento de 16 milhões de euros, 250 boxes, picadeiro coberto com 4.000 metros quadrados, bancada para 1.100 pessoas, restauração com cerca de 650 lugares sentados, distribuídos por quatro salas. Números, mais do que suficientes, para explicar porque é que o Centro Equestre Internacional de Alfeizerão (CEIA) é considerado o maior empreendimento de Alcobaça e do Oeste. 
“O CEIA é uma estrutura que atrai muita gente de fora, não só de Portugal mas também do estrangeiro“, considera Rogério Nunes, administrador do centro hípico, localizado em Vale Maceira, freguesia de Alfeizerão.
Idealizado para proporcionar as melhores condições aos praticantes de hipismo, o CEIA dispõe de dois picadeiros interiores e três exteriores, um deles o maior picadeiro coberto da Europa, com os tais 4.000 metros quadrados.
Além das provas hípicas, o pavilhão está preparado para a realização de desportos de pavilhão. Rogério Nunes explica que “neste espaço, através da utilização de bancadas amovíveis, é possível aumentar a capacidade para os 3.500 lugares sentados”.
Para dar apoio às diversas atividades realizadas, o CEIA dispõe de quatro salas de restauração com capacidade global de 650 lugares sentados e ainda o bar, pastelaria e duas esplanadas. Nas duas salas viradas a sul “as pessoas têm uma vista privilegiada para os picadeiros e podem assistir às provas num local mais resguardado das bancadas enquanto providenciamos refeições ou serviços de catering”, salienta o gerente. 
Além do restaurante, existem ainda duas lojas, uma com artigos para cavalos e cavaleiros, onde se pode encontrar todo o tipo de acessórios e equipamentos relacionados com equitação e outra com produtos e artigos regionais. Também o parque de estacionamento do empreendimento tem capacidade para mais de 300 veículos, entre ligeiros e pesados, preparado com ligações elétricas e de água para quem pernoita.
De momento, são 40 os postos de trabalho que o CEIA garante, número que pode chegar aos 80 com a construção do hotel. “Como queremos atingir um nível de cinco estrelas, estamos a dotar o centro com os requisitos necessários. E vamos cumprir esses requisitos, apesar dos custos acrescidos”, garante o fundador e administrador do espaço. De cavalo, a pé ou de carro, aceita dar o salto ao CEIA?

Projeto prevê criar 64 quartos
Hotel vai concluir oferta de complexo desportivo

Um hotel de 64 quartos em três pisos é o que falta para concluir a oferta do Centro Equestre Internacional de Alfeizerão (CEIA).
“A construção do hotel é algo que pretendemos que venha a ser uma realidade a curto prazo, estando já em fase final de licenciamento e a passar para a fase de projeto”, adianta Rogério Nunes, gerente do espaço.
O investimento, projetado num espaço de terreno contíguo ao CEIA, pretende servir os cavaleiros e os familiares que frequentem o centro, mas também a população em geral. 
Também a clínica veterinária, que irá prestar cuidados a equídeos e a pequenos animais, irá abrir as suas portas brevemente. “O futuro passa por solidificar o projeto CEIA, fazendo deste espaço um local de referência a nível nacional e internacional”, conclui o empresário.

Empreendimento instalado em vale maceira avaliado em 16 milhões de euros
“Todos temos a ganhar com o CEIA”
3 perguntas a... Rogério Nunes

Com apenas dois anos de existência, o Centro Equestre Internacional de Alfeizerão já deu provas de que é um investimento de sucesso e um motor para a economia local.  

REGIÃO DE CISTER (RC) > Porquê um Centro Equestre em Alfeizerão? 
ROGÉRIO NUNES (RN) > O CEIA começou há cerca de cinco anos por razões familiares. Quando os meus netos se iniciaram na equitação e começaram a obter bons resultados, achei que tinham potencialidades e decidi abraçar este projeto.

RC > O que tem Alfeizerão e o concelho de Alcobaça a ganhar com o CEIA?  
RN > A economia do concelho ganha objetivamente a vários níveis. A empregabilidade e a hotelaria são o caso mais visível, no entanto é preciso pensar que para alimentar os milhares de pessoas que por aqui vão passando, os produtores da região vendem muitos produtos. Essas pessoas gostam ainda de visitar as nossas praias, os nossos monumentos, acabando por comprar algumas recordações. Parece-me que todos temos a ganhar com a existência do CEIA.

RC > Além do hipismo, o CEIA está preparado para receber outro género de desportos?  
RN > O pavilhão coberto, face às suas dimensões e ao piso multidesportivo, permite-nos acolher qualquer modalidade de pavilhão, havendo já conversações com algumas federações para estágios e competições. 

BI

Designação: 
CEIA – Centro Equestre Internacional de Alfeizerão, Lda.
Fundação: 
2009
Número de Trabalhadores: 
41
Administração: 
Rogério Nunes
Actividade: 
Centro Hípico, Restauração, Hotelaria e Desportos de Pavilhão
Facturação: 
Não aplicável
Principais serviços: 
Aulas de equitação, preparação de competição, desbaste de poldros, veterinário, centro de inseminação e treino de cavalos
Sede: 
Estrada Nacional 8 – Km 89 2460-204 Vale de Maceira - Alfeizerão
Telefone: 
262 980 048/ 926 879 008
100
É o número de alunos a frequentar as aulas do Centro Equestre Internacional de Alfeizerão