Electro Concha alarga serviços com rede oficial do grupo Bosch

Desde o início deste ano que a Electro Concha faz parte da AutoCrew, rede oficinal de oficinas Bosch. Mas o espaço continua a ser conhecido, maioritariamente em São Martinho do Porto, como a oficina de Eduardo Lourenço, que tem passado ao lado da crise graças à formação constante dos colaboradores e à aposta na diversidade de serviços prestados ao cliente.

“Os clientes revelam uma necessidade crescente de fazer tudo no mesmo local. E se houver uma relação de confiança com a oficina, acabam por deixar os carros nas nossas mãos, seja por avaria ou manutenção”, considera Eduardo Lourenço, que iniciou o negócio em nome individual em 1995, depois de ter trabalhado vários anos por conta de outrem. 

A Electro Concha começou por se dedicar apenas às reparações elétricas, mas o mercado “exigiu” que o leque de serviços fosse alargado de ano para ano. Hoje em dia, a empresa é uma oficina  multimarca de serviço completo, disponibilizando todos os serviços de diagnóstico, manutenção e reparação automóvel, desde os serviços mais simples ‑ também conhecidos como serviços rápidos, nomeadamente, as mudanças de óleo ‑ até serviços mais complexos, como os diagnósticos eletrónicos. 

Mas são as avarias que continuam a dar a maior fatia de trabalho aos mecânicos da oficina. “É o carro que não pega, a luz que acendeu e não se sabe o que é... Cerca de 70% do nosso trabalho é passado a tratar de avarias“, adianta o sócio-gerente da Electro Concha, que conta com a ajuda do filho, de 26 anos, na gestão do negócio. De resto, foi David Lourenço que incentivou a parceria com a Bosch. “Já éramos certificados pela marca nos sistemas de injeção desde 2008, mas agora surgiu esta oportunidade e, uma vez que o futuro da empresa passa pela gestão do meu filho decidimos dar este passo”, explica Eduardo Lourenço.

Tendo em conta também a “necessidade de alargar serviços e avançar com obras de ampliação e beneficiação da oficina”, juntou-se o “útil ao agradável”. As equipas destas oficinas são formadas para disponibilizar serviços como mecânica geral, diagnóstico, revisões, eletricidade/eletrónica, travagem, climatização, mudança de óleo e de filtros. “É uma mais-valia. É-nos prestado apoio técnico e formação“, avança Eduardo Lourenço. A formação é, aliás, uma das peças-chave do sucesso da empresa. “O David tem todas as sextas-feiras e sábados, até final do ano, ocupados com formação e algumas dela em Espanha”, revela o empresário. “Tenho muitos certificados de formações, mas ele já me passou”, brinca o patrão.

Com um ligeiro acréscimo no volume de faturação de ano para ano, a Electro Concha atrai maioritariamente clientes do concelho de Alcobaça. “Temos clientes desde que abrimos a oficina. Mas também temos clientes que vão aparecendo pela primeira vez”, nota Eduardo Lourenço, para quem “o empreendedorismo, competência técnica, peças e serviços de alta qualidade, organização oficinal eficiente e ferramentas de fidelização e serviço de qualidade prestado aos clientes” faz a diferença neste modelo de negócio.  

“A preocupação é sempre servir bem o cliente”

O sócio-gerente da Electro Concha recorda as principais mudanças na área da mecânica nos últimos tempos, pondo em análise os efeitos da conjuntura económica no negócio.

REGIÃO DE CISTER (RC) > O que mudou na frota dos portugueses nos últimos anos?
EDUARDO LOURENÇO (EL) >
Desde 2005 que fazer reparações ficou mais caro. Os componentes são mais caros. Mas se houver uma manutenção adequada a revisão fica mais barata. Sempre tive a preocupação de avisar os clientes dos componentes que devem ser substituídos na próxima revisão, até porque a maioria das avarias são provocadas pela falta de manutenção. Contudo, há uns anos os clientes procuravam qualidade e depois o preço, agora antes da qualidade beneficiam o preço. 

RC > Foi a conjuntura económica que fez mudar esse paradigma? 
EL >
A luta pelo preço e a forte concorrência nesta área é que prejudicou a “saúde” da nossa frota. Enquanto os clientes não perceberem que a fatura acaba por ser tornar bem mais pesada nas avarias do que nas manutenções, não há muito a fazer. Felizmente há cada vez mais essa consciência. Mas a minha preocupação foi sempre servir bem o cliente.

RC > Sente que tem cumprido essa missão?
EL >
Sim, ainda que ter uma oficina não é a mesma coisa que ter um supermercado. É preciso muita dedicação, esforço e paixão pelo que se faz, porque o trabalho é sempre muito e o tempo pouco. Ficamos a fazer sempre horas extras. Se estive um minuto parado foi porque quis. Felizmente sempre houve muito trabalho. O que falta nos últimos tempos é mão de obra qualificada. 

BI

Designação: 
Electro Concha
Fundação: 
2001
Número de Trabalhadores: 
5
Administração: 
Eduardo Lourenço
Actividade: 
Manutenção e reparação de veículos automóveis
Facturação: 
Não aplicável
Principais serviços: 
Mecânica geral, diagnóstico, revisões, eletricidade/eletrónica, tacógrafos, ar condicionado, chapa e pintura
Sede: 
Estrada Vale do Paraíso 2460-698 São Martinho do Porto
Telefone: 
262 980 579 ou 968 021 336
5
Número de postos de trabalho criados na oficina de São Martinho do Porto.