Farmácia Epifânio há mais de um século ao serviço dos alcobacenses

A Farmácia Epifânio é uma referência em Alcobaça há mais de um século, mas o que muitos desconhecerão é que José Epifânio da Franca, antes de agarrar o negócio da família, já tinha uma farmácia com o mesmo nome em S. Tomé, que ainda hoje existe. 

“Estava a assumir a farmácia do meu pai, em África, quando em 1972 os meus primos me desafiaram a agarrar a gestão da farmácia de Alcobaça. Já o negócio tinha passado pelas mãos do meu tio António Epifânio da Franca e depois do meu primo Carlos Epifânio da Franca”, conta José Epifânio da Franca, que esteve à frente da farmácia em S. Tomé entre os anos 1952 e 1977. “Pediram-me que elaborasse uma proposta de carta fechada de compra e aluguer do estabelecimento de saúde e acabou por ser adjudicada”, conta o proprietário e diretor técnico da farmácia Epifânio, que foi fundada pelo tio do pai, em 1840, em Turquel. 

Mais tarde, o espaço foi transferido para Évora de Alcobaça e só depois para Alcobaça. Já sediada na cidade, a farmácia funcionou durante muitos anos num espaço no centro histórico, mudando-se mais recentemente para as atuais instalações, próximas do Mercado Municipal.

O estabelecimento de saúde tem vindo a adaptar-se às necessidades e exigências de quem o procura. Hoje em dia presta variados serviços, tais como administração de vacinas e medicamentos injetáveis, avaliação de parâmetros bioquímicos (glicémia, colesterol, ácido úrico e triglicéridos), recolha de resíduos de medicamentos/radiografias, consultas de nutrição e rastreios auditivos. Mas é nos genéricos que a Farmácia se destaca. Os dados do Infarmed, entre janeiro de 2015 e fevereiro de 2016, revelam que a Farmácia Epifânio foi o estabelecimento do distrito com maior quota de genéricos, com um valor de 56,1%. José Epifânio da Franca reconhece que hoje “já há muitas pessoas que pedem genéricos, nomeadamente, o mais barato”. Situação que atribui à “maior confiança” que existe nestes fármacos. “Sabendo que podem ter o mesmo medicamento, por menos dinheiro, as pessoas fazem essa opção”, acrescenta o farmacêutico, revelando que o estabelecimento que dirige “tem a preocupação de ter sempre, pelo menos, duas das referências dos cinco genéricos mais baratos”. Guida Reis, farmacêutica que o acompanha, acrescenta que “o facto da farmácia ser o estabelecimento do distrito com maior quota de genéricos deve-se ao facto de os clientes serem maioritariamente idosos e do meio rural, com baixo poder de compra, optando sempre pelo mais económico”.

Ainda que a crise no setor, nomeadamente a redução das margens de lucro, tenha, em alguma medida, abanado o negócio, a equipa da Farmácia Epifânio diz-se “orgulhosa” por trabalhar numa farmácia centenária. “Os utentes são fiéis ao nosso estabelecimento e, por isso, também sentimos que somos bastante acarinhados”, frisa Guida Reis.

Com uma longa história na prescrição de medicamentos, a receita da Farmácia Epifânio tem sido sempre a mesma: servir sempre melhor os utentes. 

“A nossa missão foi servir sempre bem”

O diretor técnico e proprietário da Farmácia há mais de 40 anos fala sobre o passado, presente e futuro do negócio.

REGIÃO DE CISTER (RC) > O que distingue a Farmácia Epifânio?

José Epifânio da Franca (JEF) > Enquanto farmacêutico sempre quis servir bem quem me procurasse. Daí que o bom aconselhamento aos clientes e a preocupação em poupar a carteira deles sejam a nossa imagem de marca. Nem sempre os clientes percebem que não somos médicos e aconselho sempre a consultar um médico e/ou um especialista, mas a nossa missão sempre foi servir bem e servir bem também é aconselhar e encaminhar os clientes para os médicos.

RC > Preocupa-lhe o facto de a farmácia deixar de pertencer à família Epifânio?

JEF > Eu sou o último da família. Quando deixar a farmácia já não há mais Epifânios que queiram continuar o negócio. Os meus filhos e netos optaram por outras áreas profissionais e ainda bem. Respeito todas as decisões e tenho a capacidade de conseguir fechar bem as portas, os ciclos. Não guardo rancores ou tristezas com o que podia ter sido e não foi ou com o que ficou para trás.

RC > Qual o segredo da longevidade desta farmácia?

JEF > Persistência e trabalho. Hoje em dia as margens são muito reduzidas. Mudou muita coisa ao longo dos anos, até mesmo mentalidades. Quando vendíamos pensos higiénicos, as pessoas até tinham vergonha de pegar naquilo e comprar. Compravam uma série de medicamentos e escondiam lá para o meio. Hoje em dia compra-se a pílula do dia seguinte, por exemplo, sem qualquer problema.

BI

Designação: 
Farmácia Epifânio
Fundação: 
1890
Número de Trabalhadores: 
4
Administração: 
José Epifânio da Franca
Actividade: 
Comércio a retalho de produtos farmacêuticos
Facturação: 
Não divulgada
Principais serviços: 
Venda de medicamentos e outros serviços
Sede: 
Rua Dr. José Nascimento Sousa, 43 - Loja 5 Alcobaça
Telefone: 
262 505 580
56,1
Percentagem da quota de genéricos atribuída à farmácia pelo infarmed no ano passado