Letras
A comunidade “livrólica” digital que veio para ficar
Diana Vicente

Ler mais foi uma das tuas resoluções de 2021? Então este artigo é para ti. Já estava em curso uma tendência crescente da digitalização do mundo, mas a pandemia veio acelerar esse processo. O universo dos livros não foi exceção. 

23 Fevereiro, 2021

A comunidade “livrólica” digital que veio para ficar

Natural de Alcobaça, Mariana Bernardo sempre teve uma paixão por livros. Criou um blogue dedicado aos livros em 2016, apelidado de Banal Girl, juntamente com uma conta no Instagram e, mais tarde, uma no Youtube. As interações foram crescendo, quando decidiu criar um clube de leitura em 2019 com alguns dos seguidores. Queria conhecer melhor as pessoas que partilhavam da mesma paixão. No entanto, queria que o clube de leitura não tivesse um livro obrigatório para todos os participantes, “mas onde houvesse um tema e cada membro traria um livro à escolha”, conta Mariana. 

 

No início, encontravam-se pessoalmente. Com o desenrolar da pandemia, as reuniões passaram para videochamada. Apesar de preferir os encontros presenciais, Mariana admite que este novo formato permitiu a entrada de novos participantes que, de outra maneira, não teriam lugar, literalmente, no local. “O facto de ser online ajudou muito a crescer", constata. Outra vantagem, é a variedade dos livros apresentados, permitindo alargar os horizontes literários. Porém, há uma predominância dos géneros Young Adult (destinado a jovens adultos) e Fantasia. Mariana confessa que criar este clube foi das melhores decisões que tomou: “criei amizades”. 


Encontro presencial do clube de leitura Spine Crackers, em Janeiro de 2019

Além do grupo de leitura, a comunidade que segue e da qual faz parte foi estimulando não só a vontade de ler, mas também o leque de géneros, autores e temas. Booktube para a comunidade no Youtube. Bookstagram para a comunidade no Instagram. O nome muda consoante a plataforma, mas estas novas dinâmicas de leitura e da vida do livro têm vindo a reinventar formas mais apelativas e rápidas de falar sobre livros, piscando o olho à curiosidade e motivação. “Quando comecei a escrever no blogue lia dois, três livros por mês. Agora leio muito mais, também a pandemia ajuda, mas no mês passado li 11 livros”, revela a jovem.

 

A alcobacense Ana Paulino também tem um projeto literário digital, Mil e Duas Páginas, que criou em fevereiro de 2019. Começou como uma página de venda de livros que tinha em casa, mas qual é a melhor maneira de vender livros? “É escrever sobre eles”, responde Ana à Bússola. O projeto foi crescendo. Co-criou a discussão Book Wars, juntamente com os dois autores da conta de Books Less Bear and a Baby, disponível no Youtube, onde discutiam livros que já tinha lido. O projeto A Hora das Deusas, disponível em podcast, também assentava na premissa do debate de obras que já tinham sido lidas pelas participantes. Quatro leitoras, com presença na rede literária, reuniam-se. “Permitia sair um pouco do nosso cantinho e de criar o nosso conteúdo sozinhas, para promover a discussão em conjunto”, conta. “Foi um projeto muito engraçado e muito interessante”, acrescenta Ana. 


Conversa virtual a convite de Ana Paulino, sobre o autor nórdico Karl Ove Knausgård

Entretanto estes projetos coletivos ficaram em suspenso. Não classifica estas conversas como grupos de leitura, “porque não há um compromisso, e era uma coisa descontraída”. Eram uma “lufada de ar fresco”, porque traziam livros diferentes e muitas gargalhadas. Selecionavam um conjunto de livros já lidos e conversavam sobre eles. Contudo, Ana Paulino continua a apostar nas páginas individuais, embora, confessa, prefira o blogue. Também lançou, recentemente, um podcast sobre humor em vários formatos, para promover a discussão de um género menos falado. 

 

Uma das maiores vantagens desta rede livrólica são os livros que se vão descobrindo, que de outra maneira não se conheceriam. Considera que a sua página não dá a conhecer os livros mais mainstream ou os best-sellers. No entanto, o seu objetivo “é levar os autores que considero interessantes” e tem tido feedback positivo: “vou conseguindo cativar algumas pessoas a comprar livros”, conta. O mesmo acontece no sentido inverso. Trocou livros com um livrólico inglês, que pôs na “encomenda” mais livros do que o combinado, um deles que se tornou um dos favoritos de Ana Paulino. Além de livros, vai conhecendo pessoas “muito interessantes e com pontos em comum”, mas por enquanto virtualmente. 

 

Clubes de Leitura: por onde começar?

 

As novas dinâmicas digitais de falar sobre livros tem vindo a chamar a atenção e parece ser unânime o incentivo e curiosidade que criam em torno dos livros. Deixamos-te algumas sugestões de clubes de leitura, agora completamente digitais, para te incentivarem a leitura. 

 

Spine Crakers (inspirado nas pessoas que vincam as lombadas dos livros): reúne-se uma vez por mês, com desafios de forma a diversificar os livros apresentados. Cada membro traz um livro à escolha. O género predominante é a fantasia, embora não seja o único. Se és fã de universos mágicos e sugestões diferentes, este é o clube para ti. Se quiseres entrar, contacta a Mariana através das redes sociais. 

 

 

Book Gang: A escritora Helena Magalhães criou esta comunidade livrólica, onde podes encomendar e ler em comunidade. O Instagram e o site são as plataformas onde a equipa e os leitores se encontram. 

 

Clube dos Clássicos Vivos: Tens medo de pegar nos clássicos? Este é o clube que te vai fazer enfrentá-los. Quando se encontravam pessoalmente, escolhiam amiúde livrarias, bibliotecas na zona de Lisboa e também no Centro. Já se juntaram, inclusive, no café leiriense inspirado em Eça de Queirós. Reúnem-se uma vez por mês, agora através de videochamada, discutindo um clássico sorteado na reunião anterior. Podes encontrar o grupo no GoodReads.

 

Clube de Leitura PNL 2027: O Plano Nacional de Leitura criou este clube de leitura virtual para “proporcionar a todos os leitores um novo espaço de leitura”. Os livros são selecionados pela equipa e o a discussão acontece na plataforma Goodreads.

 

Biblioteca Municipal de Alcobaça: As bibliotecas municipais costumam albergar clubes de leitura, como é o caso da BMA que todos os meses organiza sessões de discussão literária. Foram criadas as sessões da Comunidade de Leitores Online da BMA - Alcobaça a Ler, com o público-alvo a partir dos 14 anos. Os temas vão variando de mês para mês. A próxima sessão realizar-se-á no dia 25 de fevereiro, às 21 horas. Podes inscrever-te até dia 16 de fevereiro, através do email bma.inscricoes@cm-alcobaca.pt

 

Biblioteca Municipal de Porto de Mós: A biblioteca de Porto de Mós também se juntou aos clubes de leitura. O próximo tem lugar no dia 25 de fevereiro, pelas 21 horas, na plataforma de videoconferência Zoom. Para te inscreveres e saberes mais informações envia, um email para bmpm@municipio-portodemos.pt.

 

Comunidade Online de Leitores do Oeste:  A Rede Intermunicipal de Bibliotecas do Oeste tem organizado sessões de debate literário todos os meses, destinado a leitores a partir dos 18 anos. As reuniões decorrem no Zoom, às 21 horas. Em cada um mês um novo tema é alvo de discussão e partilha. O mail de inscrição é ribo@oestecim.pt.

 

Ala D’Artistas: A Associação Cultural e Artística da Calvaria de Cima (Porto de Mós), com uma filial em Aljubarrota (Alcobaça), vai iniciar um clube de leitura a partir de 1 de março de 2021. Para saberes mais informações envia email para aladartistas@gmail.com ou podes ligar para o 919 701 849.

 

Se não te queres comprometer com um livro todos os meses, ou preferes uma leitura ao teu ritmo e escolhida por ti, a plataforma Goodreads ou as redes sociais que usas habitualmente são uma boa forma de manter um registo do que lês, e para os teus amigos verem o que lês e vice-versa. Ou, se queres ter um ponto por onde começar, procura páginas literárias, como A mulher que ama livros ou Books turn you on, que têm amiúde desafios e listas literárias dos mais variados temas, géneros e autores. Diz-se que se não encontraste o gosto pela leitura, ainda não encontraste o livro certo. Boas leituras!

Veja também

10 Maio, 2021
Com o objetivo de ser revolucionário e assumindo uma atitude corajosa de avançar com espetáculos em dois momentos distintos, o evento aposta em projetos artísticos em espaços não convencionais, dando...
23 Abril, 2021
Foi um dos filmes escolhidos para assinalar esta semana o regresso presencial às salas de cinema em Portugal, após mais um longo período de confinamento, chegando agora ao grande ecrã com uma...
19 Abril, 2021
O ser humano prospera no conforto e na estabilidade. Há até investigadores que defendem que somos uma espécie preguiçosa e carente de gratificação instantânea. Não vou tão longe, apesar de...