ACeS Oeste Norte quer fixar médico em Évora de Alcobaça

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) Oeste Norte garante que pretende fixar um médico na Extensão de Saúde de Évora de Alcobaça, resolvendo assim a falta de um profissional naquele polo.

“Embora o concurso que se encontra a decorrer não tenha contemplado a vaga solicitada para Évora de Alcobaça, estamos a desenvolver esforços para que possamos ter médico com vínculo ao ACeS para prestar cuidados aos utentes deste pólo”, confirmou ao REGIÃO DE CISTER a diretora-executiva do ACeS Oeste Norte. “Por enquanto contamos com os médicos da empresa de prestação de serviços”, acrescentou Ana Pisco. 

Situação que, para o presidente da Junta de Évora, é “precária”. Fernando Azeitona espera que “o problema fique resolvido até final deste mês”, admitindo que “a situação que se vive desde setembro com o médico em prestação de serviços, que ora vem duas vezes por semana, ora não vem nenhuma, não é a ideal, tendo em conta as necessidades da população”. 

Entretanto, o secretariado do PS/Alcobaça considerou, em comunicado, que “os compromissos assumidos em meados de outubro de 2018, pela ARSLVT-ACeS Norte relativamente à utilização de mobilidade interna de um médico para o Centro de Saúde de Évora de Alcobaça, não foram cumpridos” e manifestou o seu “repúdio por esta situação e pela falta de apoio das estruturas do Ministério da Saúde à resolução do problema”. Contudo, o presidente da Junta diz não “subscrever” e “ser completamento alheio” à posição tomada pelo Secretariado do PS, admitindo só ter tido conhecimento do documento “após o seu envio”. 

A falta de médico na Extensão de Saúde de Évora de Alcobaça tem afetado cerca de 1.800 utentes desde setembro, desde que dois médicos estagiários que sucederam o médico António Branco (falecido recentemente), que se aposentou, terem saído.