Cinco escolas da região não têm plano de emergência certificado

Nos concelhos de Alcobaça e Nazaré há cinco estabelecimentos de ensino que não têm planos de emergência certificado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC). 

Os agrupamentos de escolas da Nazaré e da Benedita, com duas escolas cada, são os que mais estabelecimentos têm sem plano certificado. Na Nazaré, o Centro Escolar da Nazaré e de Valado dos Frades não viram o documento certificado pela ANPC. 

Já na Benedita, além da EB2 da vila, os responsáveis pela segurança no agrupamento confirmaram ao REGIÃO DE CISTER a existência de uma outra escola sem certificação sem, no entanto, conseguir identificar de qual se trata até à hora de fecho desta edição. 

Por sua vez, a Escola Secundária de São Martinho do Porto também não tem plano de emergência certificado pela autoridade competente. Os dados resultam de um levantamento que o REGIÃO DE CISTER fez junto dos estabelecimentos de ensino, na sequência de o assunto ter sido levado a Assembleia Municipal pelo deputado César Santos (PS), no início do mês.

Apesar da falta de certificação obrigatória, os responsáveis pelas escolas garantem não estar em causa a segurança dos alunos. As escolas contactadas têm “planos de emergência internos”, realizam simulacros e oferecem a segurança necessária de todos os alunos “em caso de incêndio ou catástrofe natural”, como explica Luísa Sardo, recentemente reconduzida como diretora do Agrupamento de Escolas de São Martinho do Porto.

Para a falta de certificação, os responsáveis apontam as “dificuldades” em cumprir todas as especificidades pedidas pela ANPC, que “são fáceis de implementar mas difíceis de certificar”, como esclarece Dalila Barreira, responsável pela segurança do Externato Cooperativo da Benedita, estabelecimento com plano de emergência certificado desde 2014. “O processo não foi fácil e obrigou ao investimento de vários milhares de euros”, recorda a docente.