Externato da Benedita estuda criação de Centro de Ciência Viva

O Externato Cooperativo da Benedita está a estudar a criação do primeiro Centro Ciência Viva do distrito de Leiria, a ser instalado na cave do Centro Cultural Gonçalves Sapinho (CCGS) para receber exposições temporárias da rede nacional.

A garantia é dada pelo presidente do Conselho de Administração do Instituto Nossa Senhora da Encarnação (INSE), que apresentou a proposta à organização do Pavilhão do Conhecimento. A ideia surgiu “devido ao facto de o espaço estar muito bem localizado, sem estar a ser utilizado devidamente, tendo em conta que há condições ótimas para receber exposições e espetáculos”, sustenta Nuno Sardinha ao REGIÃO DE CISTER.

De momento o projeto ainda se encontra numa fase preliminar, avaliando-se os espaços e recursos disponíveis, esperando criar um “espaço de referência para o distrito e, até, para a região centro”, sublinha.

A correta rentabilização do espaço e a esperada centralidade “podem vir a atrair milhares de visitantes, fazendo do CCGS uma referência no âmbito da ciência, tal como já e do teatro”, afirmou.

Apesar da qualidade estrutural, o CCGS “não apresenta as condições necessárias para receber exposições permanentes, devido à falta de um piso técnico (estrutura amovível)”, admite Nuno Sardinha. Por isso, a cave do CCGS abre portas às exposições temporárias do Centro de Ciência Viva, cujo polo mais próximo está localizado no concelho de Alcanena, em Santarém.