Projeto quer dar nova vida à Escola de Vale de Maceira

Há uma instituição interessada em dar uma nova vida à antiga Escola Básica de Vale de Maceira. A ideia passa por fazer obras de requalificação no espaço e instalar lá a “Creche Familiar”, projeto que Paulo e Ana Sábio já implementaram numa antiga escola primária em Barrantes, perto de Caldas da Rainha. 

Mas esta não é uma creche qualquer. As crianças são “educadas” a sujar as mãos na terra, os brinquedos são de madeira, tal como no tempo dos avós, aprendem a contar pelos dias em que a galinha está no choco e convivem diariamente com diferentes animais. Com o intuito de dar resposta à crescente procura, a “Creche Familiar” quer mudar-se agora para a freguesia de Alfeizerão.

De acordo com a coordenadora pedagógica, a equipa é responsável por 25 crianças, até aos 3 anos de idade. O projeto baseia-se na exploração do ambiente circundante, na observação e no conceito de família. “Estimulamos o contacto com a natureza e os meninos passam muito pouco tempo dentro da sala de aula. Aprendem na horta, a interagir com os diferentes animais e a respeitar o meio que os envolve e o outro”, sublinha Ana Sábio.

A funcionar como centro baby-sitting, a empresa ambiciona agora alcançar o estatuto de creche e, para isso, deve preencher alguns requisitos, tais como instalações com determinadas “condições”. “Existem algumas alterações de logística que teremos de fazer para alcançar o estatuto de creche e é por isso que queremos realizar a mudança para a antiga escola primária de Vale de Maceira”, revelou Paulo Sábio ao REGIÃO DE CISTER considerando muito pertinente a intervenção uma vez que o edifício se encontra “em completo estado de abandono”. 

A empreitada já tem luz verde da Câmara de Alcobaça e resulta de um investimento privado de cerca de 18 mil euros, valor que terá retorno gradual com o pagamento de uma mensalidade, entre os 200 e os 250 euros, por parte dos pais. “Neste momento a ‘bola’ está do nosso lado visto que a burocracia está finalizada. Falta-nos só adjudicar a obra que acreditamos estar concretizada em seis meses”.

A população recebeu com agrado o projeto e, mesmo sem o arranque das obras, já existem protocolos estabelecidos com instituições locais. “A Associação de Vale de Maceira já cedeu espaço para realizar atividades, um senhor ofereceu parte de terreno de cultivo para criarmos a nossa horta, de onde retiramos os alimentos confecionados para as crianças, e a Misericórdia de Alfeizerão quer realizar atividades de interação entre as crianças e os idosos”, revela Paulo Sábio. 

“Queremos que os meninos possam ser crianças como fomos, que não estejam fechados, que respirem ar puro e que vivam de forma saudável e em comunidade”, conclui o responsável. Aguarda-se uma nova vida naquela aldeia.