Quarentena de Hugo Trindade deu em QuarenTunes

O período de confinamento tem sido desafiante para os artistas que, em muitos casos, aproveitam para explorar novos projetos e se reinventarem. Para o músico alcobacense Hugo Trindade a quarentena tem sido útil para desenvolver as capacidades de produção e edição de áudio e vídeo. O resultado pode ser visto e ouvido nas sessões “QuarenTunes” lançadas no Youtube e nas redes sociais. 

“Estou a conseguir juntar o útil ao agradável: não estar parado, recuperar canções e melodias que adoro tocar e reinterpretar, e ‘apanhar boleia’ desta corrente de live streams”, refere o guitarrista de Jazz e “world music”. “O público virtual tem gostado e, finalmente, arranjei tempo para partilhar e promover o tipo de repertório que faço ao vivo quando toco a solo ou em duo”, acrescenta.

O confinamento também obrigou o alcobacense a adaptar-se enquanto professor, uma vez que passou a dar aulas à distância aos alunos dos cursos Rockschool da Academia de Música de Alcobaça, dos quais é coordenador. “O grande desafio foi implementar um ‘modus operandi’ que satisfizesse os alunos”. O “grande inimigo” destas aulas remotas é a “latência e a impossibilidade de tocar em simultâneo com os alunos” que prejudica um pouco as aulas de instrumento mas, principalmente, as de conjunto. 

“Uma das estratégias que adotei foi criar ‘backing-tracks’ de todos os arranjos que fiz para este ano letivo para assim os alunos enviarem um vídeo a tocar a sua parte por cima de cada um desses áudios”, explica o docente. No entanto, Hugo Trindade afirma que as disciplinas de Teoria e Produção Musical até estão a ser “mais satisfatórias devido à existência de várias ferramentas associadas às plataformas de videochamada”, concluindo que, apesar de todas as mudanças, nenhum aluno desistiu.

Com uma carreira bastante sólida, quer como líder de vários formações quer como músico convidado, Hugo Trindade já gravou um disco em nome próprio, tendo vencido em 2012 o concurso EDP Cool Jazz Talents com o seu quinteto. Também com muitos concertos cancelados ou adiados, o músico está preparado para o pior cenário nos próximos tempos, apesar do tom esperançoso com que afirma que “o verão é ainda uma incógnita”. Até lá, há “Quarentunes”.