Sol e Mar montou menos 300 barracas na praia da Nazaré

Há menos 300 barracas montadas nesta época balnear na praia da Nazaré, face às medidas de distanciamento social no controlo da pandemia da Covid-19. A Sol e Mar - Associação de Banheiros do Concelho da Nazaré  foi obrigada a diminuir o número de apoios de praia, reduzindo dez barracas a cada um dos 30 sócios. Ficaram, assim, disponíveis para aluguer cerca de 800 barracas na zona norte da praia da vila.

“Não há volta a dar. O que queríamos era que a Covid-19 passasse mas como não depende de nós temos de nos adaptar. E por isso houve uma redução no número de barracas para que os banhistas estejam em segurança e se sintam confortáveis na praia“, realçou ao REGIÃO DE CISTER Ana Meco, presidente da Sol e Mar. A responsável explicou ainda que todas as barracas foram montadas a um metro e meio de distância umas das outras.

“O espaço é o mesmo, mas as filas ficaram mais pequenas e por isso houve essa redução”, resume Ana Meco.

Ao contrário de outras praias, nomeadamente no Algarve, onde cada pessoa ou grupo só pode alugar um toldo, barraca ou colmo de manhã (até às 13:30 horas) ou de tarde (a partir das 14 horas), continua a ser possível na Nazaré alugar a barraca ao dia, à semana ou ao mês. “Na Nazaré há pessoas que alugam barracas ao longo de todo o verão, era impensável haver apenas só essa possibilidade”, considera Ana Meco. As regras de utilização continuam a ser as mesmas, ainda que tenha sido adicionada a possibilidade de alugar uma barraca apenas durante uma tarde ou durante uma manhã. “Já tínhamos previsto o aluguer ao dia, mesmo que a pessoa só viesse de manhã ou só à tarde. Agora temos uma tabela com um preço só para meio dia: manhã até às 13:30 horas e tarde a partir dessa hora para permitir que mais pessoas possam alugar as barracas”, acrescenta.

Contactado pelo REGIÃO DE CISTER, o vereador da Câmara com o pelouro do Ambiente revela que “a nova legislação prevê que haja um pedido de expansão”, caso o concessionário assim o peça. “Da nossa parte não haverá grandes problemas, porque temos área de expansão para o apoio balnear. Até ao momento ainda não nos fizeram chegar qualquer pedido de expansão da área, isto sem pagamento de taxas adicionais”, adianta Orlando Rodrigues. “As barracas estão a ocupar o espaço definido em concurso recente, até à zona do restaurante Aleluia. O plano de praia foi feito tendo como base aquilo que era o modelo, a ser trabalhado, em áreas muito específicas”, acrescenta o autarca.