Mais e melhores REGIÕES

O porquê de serem importantes as lideranças regionais?

Nas últimas décadas em particular surgiram nas lideranças regionais perfis indesejáveis, desprovidos de valor agregado, de uma ausência de mais valia para o próprio contexto regional e desprovidos também de uma visão de futuro sobre as necessidades de melhoria da qualidade de vida do cidadão, da importância da otimização do espaço público como o centro de tudo o resto e, mais importante, sem terem a noção concreta da sua falta de competência técnica, educação formal e informal e conhecimento real das suas funções.

Estes perfis estão disseminados na esfera do poder da proximidade de uma forma mais evidente e muitas vezes chocante aos olhos de muitos, mas estão disseminados de forma arcaica, antiética e em alguns dos casos potencialmente corrupta, estando por aí “encaixados” num poder, na sua maioria exercido de forma apática, dissimulada e desprovido de qualquer sentido de dever, de respeito pelo outro, de valorização da pessoa humana.

Hoje a sociedade civil evolui, como também as suas competências ao nível dos meios de escrutínio, avaliação e capacidade de encontrar ferramentas para permitir ou não a implementação de determinadas ações e nesse sentido a procura de novas lideranças regionais é fundamental para definir novos desígnios, implementar boas práticas e sermos todos, como sociedade mais transparentes, corresponsáveis e muito mais capazes.

A Mais e Melhores REGIÕES surge deste contexto e tem esse desígnio, que espera continuar a implementar através das formas de comunicação mais eficazes nos nossos dias, seja pela organização de seminários, através do poder da rádio com a nossa rubrica trissemanal na Cister FM ou pela imprensa regional que agora iniciamos com este espaço em formato escrito, que será mensal, no Jornal Região de Cister.

Na nossa agenda mensal serão colocados assuntos relacionados com a Cidadania, o Empreendorismo e as Regiões cumprindo assim o foco, a estratégia e a visão desta recente criada associação e neste contexto pretendemos simultaneamente promover a informação sobre cultura, nomeadamente através da promoção do património cultural, do multilinguismo, da digitalização, do turismo cultural, do marketing das cidades e dos municípios, como também potencializar as sinergias sobre os setores da educação, do empreendorismo social, como da saúde e do bem estar de todos.

Essas lideranças regionais deverão contribuir para otimizar as potencialidades das regiões e das cidades, como também das suas indústrias culturais e criativas, como as dinâmicas do empreendorismo, designadamente com as PME e outras entidades e instituições de referência no desenvolvimento dos nossos territórios, da capacitação e da requalificação do valor humano entre as regiões de todo o pais.