Comissão de Festas de Santo António quer renovar evento

Há dez anos sob a organização da Junta de São Martinho do Porto, as Festas de Santo António serão, em 2019, uma responsabilidade exclusiva da Comissão de Festas constituída por “filhos da terra”, que ambicionam revitalizar uma festa que consideram "parada no tempo”. 

Apesar de lamentarem a “falta de apoio do executivo local”, asseguram que ganha o “amor pela terra”. Ricardo Macedo, presidente da Comissão, declarou ao REGIÃO DE CISTER que a organização surgiu “de conversas de café entre conterrâneos”, motivadas pela análise comparativa da realidade atual e passada das festas da vila e de evocação a Santo António. “Nos últimos dez anos a organização das festas ficou a cargo da Junta de Freguesia, que apenas manteve o evento em piloto automático. Não há inovação e isso é preocupante”, atirou Ricardo Macedo. A lista do atual presidente foi a única apresentada aquando da abertura de concurso público. “Ninguém, para além de nós demonstrou interesse em ficar com essa responsabilidade e sinceramente agora percebo o porquê, é muita responsabilidade”, confessa o dirigente. “Estamos a começar do zero, com zero e do ano zero”, acrescenta. 

Com a ambição de dinamizar as festas da vila, os planos da comissão visam levar o público a “recordar, recomendar e regressar”. A edição deste ano do certame apresentará dois palcos para animação musical. Com um cartaz ainda “muito embrionário”, os D.A.M.A e os Amor Electro subirão a um palco orbital na praia. A aposta nos artistas de renome nacional é justificada pela Comissão com “a vontade de captar novos públicos e inovar face aos repetitivos conjuntos musicais que anualmente marcam presença” no evento. 

As ruas da vila serão preenchidas com mais de 11 engenhos de diversão, street food numa das artérias da vila e expositores diversos onde constarão a presença de  comerciantes de vários pontos do País e iguarias de renome nacional. Com o intuito de assegurar a diversão durante as tardes, o grupo planeia ainda a organização de jogos tradicionais e desportos náuticos. 

De acordo com Ricardo Macedo, o “objetivo é fazer ainda mais”, mas o orçamento “sensível” da organização pode ser um entrave da missão. “Até ao momento o único apoio que temos da Junta é a oferta do fogo de artifício. Nem a iluminação de rua está assegurada pelo executivo”, lamenta o responsável. “Contamos com apoios dos empresários locais para assegurar a alimentação e a estadia para os artistas”. “Até os D.A.M.A e os Amor Electro, foram bastante flexíveis. As bandas aceitaram a reserva das datas, antes da Comissão adiantar valores, por reconhecerem que não podemos oferecer mais”, acrescenta. “Este é um evento que representa não só a vila  como também todos os habitantes”, sublinha. 

Até à data de fecho da edição, não foi possível contactar o presidente da Junta de São Martinho do Porto, Joaquim Clérigo. As Festas de Santo António em São Martinho do Porto decorrem entre os dias 7 e 16 de junho.