Divergências “partem” Centro de Saúde de Alcobaça em duas alas

O Centro de Saúde de Alcobaça, está, desde o dia 4 de janeiro, a funcionar com duas alas distintas. Em causa está o desentendimento entre a equipa de profisionais, que levou a uma divisão física de espaço e de equipa.

A decisão foi efetivada no início do ano, no entanto, o clima de tensão entre os profissionais de saúde tem vindo a aumentar ao longo dos últimos meses. Na origem da instabilidade vivida na Unidade de Saúde Familiar (USF) Pedro e Inês estão “alguns desentendimentos” entre os profissionais quanto ao desempenho de funções e organização. “Os desentendimentos existem em qualquer lugar, mas ao longo dos últimos meses subiram de escala. A tensão é notória, principalmente entre as administrativas, que não conseguiram entrar em acordo”, explica fonte ao REGIÃO DE CISTER.

O mal-estar na equipa foi reportado ao Conselho Geral, tendo sido inclusive apresentado um abaixo-assinado, subscrito por parte dos funcionários da USF Pedro e Inês, a revelar o desejo de divisão da equipa. “Foi tomada a decisão de avançar com a divisão devido a divergências entre os profissionais. Acreditamos que a melhor decisão passa pela divisão da unidade e por rumos diferentes”, explica José Tomás, até então coordenador da USF Pedro e Inês. Na perspetiva do médico, não era “plausível perpetuar o problema no tempo e, embora não estivesse prevista, a divisão pode melhorar o funcionamento do atendimento aos utentes”.

No entanto, a separação não foi uma decisão unânime. Ao que o REGIÃO DE CISTER conseguiu apurar, parte da equipa não estava de acordo com a criação de duas alas no mesmo edifício. “A Unidade sempre funcionou com um bloco e, apesar das dificuldades, sempre foi possível dar um serviço de qualidade à população. Dividir a equipa, reduzindo o número de profissionais disponíveis para cada serviço, é uma decisão que deveria ter sido mais ponderada”, considera uma fonte, que prefere não ser identificada, lembrando a dificuldade de todas as unidades de saúde do País em fixar profissionais.

Deste modo, a Unidade de Saúde de Alcobaça passa a funcionar com duas alas: a Unidade de Saúde Pedro e Inês, instalada na ala direita do edifício, e a Unidade de Saúde Terras de Cister, na ala esquerda. Perante a divisão, José Tomás deixa de ser coordenador geral para assumir a coordenação exclusiva da USF Terras de Cister. “Até ao momento não há informação em contrário, pelo que vou continuar a coordenar uma das alas, neste caso aquela na qual me insiro”, explica o profissional. Por sua vez, a USF Pedro e Inês deverá ser coordenada pela médica Isabel Graça, que optou por não comentar, por enquanto, a situação.

Na prática, o que isto significa? Aquando da chegada às instalações médicas, os utentes serão encaminhados pelo segurança para a respetiva ala na qual o seu médico de família desempenha funções. “É importante sublinhar que os utentes não serão prejudicados com esta alteração. Os médicos de família atribuídos continuam os mesmos e vamos todos, apesar desta divisão, continuar a trabalhar no sentido de servir a comunidade”, reitera José Tomás.

Ao REGIÃO DE CISTER, a diretora executiva do Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) Oeste Norte defende que “a constituição das equipas que dão resposta aos utentes dos serviços de saúde assenta numa base dinâmica, de mudança", considerando que isso "é algo transversal aos setores público, privado e social". Trata-se, pois, de uma situação relativamente vulgar no Serviço Nacional de Saúde”, adianta Ana Pisco. De facto, na região, a situação não é única, sendo que no concelho da Nazaré, a USF Nazareth e a USF Global funcionam no mesmo espaço.

“Neste caso específico, o importante a reter é que as pessoas inscritas, até 2020, na USF Pedro e Inês vão manter os seus médicos de família e continuarão a ser atendidas no mesmo edifício, uma vez que desde o primeiro momento se teve como primado o não prejuízo dos utentes. De qualquer forma, e estando em curso o processo de reorganização das equipas, torna-se prematuro adiantar mais detalhes”, conclui Ana Pisco.