Futebol: Bruno Ferreira “prepara” Grasshoppers para a elite

Não é o rosto mais visível dos triunfos do Grasshoppers, mas tem responsabilidade acrescida na preparação física de um plantel que luta pelo regresso à 1.ª Divisão nacional helvética.

O mirense Bruno Ferreira está a assumir funções de preparador físico do Grasshoppers, equipa que terminou o ano na liderança do segundo escalão da Suíça e que ambiciona regressar à elite. Ou não fosse o clube mais titulado daquele país, com participações na Liga dos Campeões e Liga Europa.

Responsável por coordenar a carga física de cada treino, por aquecer os jogadores antes de iniciarem a partida ou entrarem em campo, Bruno Ferreira é assertivo na forma como encara a preparação física de cada jogador.

“O melhor tratamento é a prevenção, e como jogamos com intervalos de três dias não existe recuperação milagrosa que resolva”, destaca o jovem ao REGIÃO DE CISTER, explicando que o trabalho que desenvolve resulta do conhecimento de cada jogador. 

“Se identificarmos que o jogador tem um défice acentuado no membro esquerdo, trabalhamos de forma a atenuar essa diferença.”, evidencia, adiantando que é essencial determinar os tempos de exercícios e carga física. “Um jogador pode ter muita qualidade de passe, mas depois de correr dez quilómetros já não o faz com a mesma qualidade”, nota.

O ainda curto percurso de Bruno Ferreira começou no clube da terra, tendo cumprido toda a formação no Mirense.

Apesar de lhe serem vislumbradas qualidades como avançado, acabou por se especializar na preparação física dos craques da bola. Licenciou-se e tornou-se mestre na Escola Superior de Desporto, em Rio Maior. No âmbito do estágio curricular teve a oportunidade de trabalhar com os juvenis do Benfica, em 2016/2017. 

Nos anos seguintes foi preparador físico no Fátima e treinador da seleção distrital sub-14 da AF Santarém, tendo participado no emblemático torneio Lopes da Silva, dedicado à formação.

Na época passada, o mirense exercia o cargo de preparador físico da Académica, no qual treinou o alcobacense João Traquina, mas no verão João Carlos Pereira, treinador principal dos estudantes, recebeu uma proposta para continuar a carreira como técnico do Grasshoppers na 2.ª Divisão da Suíça.

O treinador de 55 anos não só aceitou como levou Bruno Ferreira em nova aventura no estrangeiro, a primeira da carreira do mirense, de 26 anos.

Em 15 partidas já disputadas na Challenge League, a equipa lidera o segundo escalão, com 29 pontos, e é a principal candidata a subir à elite, mas para Bruno Ferreira há que “manter o foco no objetivo”. 

“Somos candidatos, mas temos de o provar dentro das quatro linhas”, lembra. Para o conseguirem, os jogadores podem contar com a preciosa ajuda do “nosso” Bruno.

Mirense sonha ser treinador principal, mas não para já

Não será de admirar que nos próximos anos se oiça falar do técnico Bruno Ferreira, até porque exerceu essas funções no Mirense, Alcanenense e AF Santarém, mas por agora o futuro é no cargo de preparador físico - treinador adjunto como são conhecidos. 

“Gostava de um dia ser treinador principal, formei-me nessa área, mas para já quero continuar nesta função de preparar fisicamente os jogadores e continuar a evoluir no mundo do futebol”, assevera o mirense, revelando que na equipa técnica de João Carlos Pereira todos têm responsabilidades e “liberdade” para ajudar a preparar os jogos.

“Se tiver determinada ideia, o mister João Carlos dá-nos essa liberdade de a partilhar”, refere Bruno Ferreira.