Falta de médicos no Hospital de Alcobaça preocupa CDU

O deputado do PCP Bruno Dias visitou esta segunda-feira o Hospital Bernardino Lopes de Oliveira de Alcobaça, com o objetivo de se inteirar dos problemas daquela unidade de saúde. 

"A falta de médicos fora dos centros urbanos é preocupante. É urgente fixar estes profissionais de saúde", alertou o deputado comunista eleito pelo círculo de Setúbal, utilizando o exemplo do hospital de Alcobaça para manifestar a discordância com as opções da tutela.

Bruno Dias defende a dinamização dos cuidados de saúde primários. "É necessário estar mais perto das populações. Se as pessoas não têm médicos de proximidade têm de recorrer às urgências", salienta o deputado.

Rogério Raimundo, que se encontra em substituição da vereadora Vanda Furtado Marques na Câmara de Alcobaça até segunda-feira, afirmou que "Alcobaça tem de ser centro. A cidade está a perder para outros lados".

Recentemente, o anuncio da criação no Hospital de Alcobaça da primeira unidade de internamento cuidados paliativos do distrito, por parte do conselho de Administração do Centro Hospital de Leiria, deixou em alerta esta e outras forças políticas do concelho. "Felizmente, não vão fechar outras valências. Enquanto decorre intervenção na medicina interna, contam com o apoio da capacidade excedentária da cirurgia geral", referiu Rogério Raimundo. Outra "boa notícia", após reunião com o Conselho de Administração do Centro Hospitalar que decorreu na Câmara de Alcobaça, é que o "Hospital de Alcobaça não vai passar para as mãos da Santa Casa de Misericórdia, nem vai fechar".

O Hospital Bernardino Lopes de Oliveira está a ser palco de obras, com o objetivo de melhorar os serviços. A partir do dia 8 do próximo mês, a região passa a ter uma ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV), que tem por missão garantir cuidados de saúde diferenciados, tais como manobras de reanimação. Neste momento, algumas consultas de especialidade são dadas por médicos que se deslocam de Leiria.