IP garante lançar concurso para troço do IC2 até final do ano

A Infraestruturas de Portugal (IP) prevê lançar ainda este ano o concurso público para execução da empreitada de beneficiação do troço do Itinerário Complementar 2 (IC2) entre Asseiceira (Rio Maior) e Freires (Benedita). 

Na sequência da realização de uma marcha lenta na manhã desta sexta-feira no IC2, entre Benedita e Aveiras, a IP explicou, em comunicado, que a obra tem um preço base de 7,5 milhões de euros e um prazo de execução de 450 dias, tratando-se de uma intervenção que atravessa os concelhos de Rio Maior e Alcobaça, numa extensão total de cerca de 20,3 quilómetros.

Está prevista a realização da reabilitação integral do pavimento, o reforço e reabilitação do sistema de Sinalização (horizontal e vertical), dos equipamentos de Segurança da estrada e do sistema de Guiamento e Balizagem, a beneficiação global do sistema de Drenagem da via e a reformulação de cinco interseções de nível, com construção de rotundas.

A IP comprometeu-se, ainda, "a promover a realização de trabalhos pontuais de conservação do pavimento no âmbito do Contrato de Conservação Corrente, de forma a mitigar os problemas de sinistralidade que ali se têm registado", até a obra ter início.

O lançamento do concurso foi inicialmente anunciado em 2015 e depois em 2018, o que não aconteceu. A nova data anunciada deixa, por isso, muitas dúvidas aos utentes, que reclamam por obras "já".

A marcha lenta no IC2 obrigou centenas de veículos a percorrerem lentamente o troço de 40 quilómetros, que normalmente é percorrido em 40 minutos e que, devido ao protesto, demorou nesta manhã aproximadamente duas horas. “Obras no IC2 Já”, “Estrada da vergonha” foram algumas das mensagens afixadas nos vidros de carros e camiões que aderiram à marcha lenta, pedindo "stop aos acidentes, mortes, feridos e danos nas viaturas”. Foram também colocadas coroas de flores em homenagem a todos os que perderam a vida neste troço do IC2.