Marco Pires mostra “Ouvido no Deserto” em Lisboa

A Galeria João Esteves de Oliveira, no Chiado, em Lisboa, acolhe até dia 27 de outubro a exposição “Ouvido no Deserto” do alcobacense Marco Pires.

Inaugurada na semana passada, a exposição reúne trabalhos sobre papel do artista, que tem dado cartas na sua área. “Marco Pires atua nos interstícios da imagem, revelando-nos as suas falhas e contradições, os seus desvelos e afastamentos como formas de representação e apresentação do real, como repositórios de mediação da nossa experiência e certezas no mundo”, lê-se no excerto de “Ouvido No Deserto”, escrito por David Silva Revés.

Licenciado em Artes Plásticas-Pintura, pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa, o artista expõe individualmente desde 2006. O alcobacense foi um dos nove finalistas da 11.ª edição do Prémio “Novos Artistas Fundação EDP”, em 2015, concorrendo ao prémio EDP com Pó, uma série de obras (fotografias, desenhos, mapas e uma escultura) em torno da ideia de deserto como território psicogeográfico.