Terça-feira, Julho 5, 2022
Terça-feira, Julho 5, 2022

Escolas de Porto de Mós recebem alunos sem rede e internet

Data:

Partilhar artigo:

Com o regresso do ensino à distância, regressa também o problema da falta de cobertura de rede nas freguesias mais rurais do concelho de Porto de Mós. 

Com o regresso do ensino à distância, regressa também o problema da falta de cobertura de rede nas freguesias mais rurais do concelho de Porto de Mós. Isto porque, apesar das promessas das operadoras, continua tudo na mesma. Para atenuar o problema, a autarquia ofereceu equipamentos de internet aos alunos mais desfavorecidos. No entanto, sem cobertura de rede, principalmente na região serrana, não há internet que salve os alunos. Assim, e para que ninguém fique excluído do ensino à distância, foram preparadas escolas de acolhimento para receber os alunos que não têm meios para aprender em casa.

“Estamos a trabalhar a forma mais igualitária possível”, garante ao REGIÃO DE CISTER a vereadora da Câmara de Porto de Mós. “O transporte estará garantido”, frisa Telma Cruz.    

As freguesias mais afetadas continuam a ser São Bento, Serro Ventoso, Alqueidão da Serra e Arrimal e Mendiga, onde o acesso às comunicações é escasso e, em muitas zonas, inexistente. O problema arrasta-se há décadas, mas a tecnologia nunca foi tão essencial como nos dias de hoje.

Nuno Saragoça e Umbelina Lopes são professores do ensino secundário residentes em Alqueidão da Serra e estão a viver um grande desafio: o de dar aulas online. Com constantes falhas na internet, o desafio do casal é ainda maior uma vez que têm dois filhos, um no 4.º e outro no 7.º ano. “Temos tentado dividir os horários, de forma a não estarmos os quatro em simultâneo a utilizar a internet e a sobrecarregá-la”, adianta Nuno Saragoça.

A viver um problema idêntico a partir de Casais das Correias, na freguesia de São Bento, está Telma Correia. A pagar quase 80 euros por mês pelo serviço de telecomunicações, a professora do 1.º ciclo tem tido muitas dificuldades em dar aulas síncronas. “Deixo constantemente de ver os meus alunos e se estiver, por exemplo, a fazer uma sessão de leitura não consigo perceber se está a ler corretamente”, relata.

As queixas não param de chegar às autarquias, que apesar dos poucos recursos, tentam ajudar como podem. “Aqueles que se conseguem deslocar têm vindo para a Junta trabalhar”, adianta o presidente da Junta de São Bento, Tiago Rei, lamentando que apenas a sede da freguesia tenha algumas zonas com cobertura de rede. É por essa razão que Paulo Pereira, residente na localidade de Vale Florido, tem que sair de casa para fazer uma simples chamada. Também a internet em casa é fraca. “O meu filho anda no 8.º ano e mal consegue acompanhar as aulas, devido às constantes paragens no serviço”, reclama.

Nas freguesias de Serro Ventoso e Arrimal e Mendiga, a realidade não é muito diferente. Manuel Fernandes vive em Portela do Vale de Espinho (Serro Ventoso), mas nem ele, nem a mulher têm condições para trabalhar a partir de casa. O filho do casal tem que ir para casa da avó para conseguir frequentar as aulas online. “É uma aflição. Temos velocidade máxima de 1,5 megas de internet e pagamos um serviço muito caro”, avança. ”Ligamos praticamente todos os dias para a operadora que nada faz”, acrescenta ainda.

Recorde-se que o plano de investimentos da Altice na rede de fibra ótica e rede móvel, que resulta de um protocolo entre a operadora e o Município, prevê uma cobertura de fibra ótica superior a 90% em todo o território do concelho de Porto de Mós até final deste ano. Mas, até à data, a internet ainda não chega a todos.

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Colisão entre motociclo e veículo ligeiro provoca um morto na Nazaré

Um homem, de nacionalidade inglesa, morreu esta segunda-feira na Nazaré, na sequência de uma colisão entre um motociclo...

Uma “tasca” em alta rotação movida a gasolina e… caracol

Costuma dizer-se que quem anda à velocidade do caracol não chega propriamente rápido ao destino. Mas, por paradoxal...

Jovem detido por furto a residência em São Martinho do Porto

Um jovem de 25 anos foi detido, no dia 29 de junho, por furto em interior de residência...

Duas empresas de Alcobaça distinguidas como “Gazela 2021”

A construtora A.B. Inácio, LDA, sediada na Benedita, e a fabricante HC - Caixilharia LDA, localizada na Cela...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!