Doces da Carla comercializa Pudim de Maçã de Alcobaça

A empresa Doces da Carla, que abriu em maio de 2019 uma pastelaria no centro histórico de Alcobaça, no antigo espaço do Posto de Turismo, começou a vender, esta quinta-feira, o Pudim de Maçã de Alcobaça, confecionado pelo chef Carlos Silva da Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Cister (Epadrc) e que conquistara o prémio Inovação Conventual na na edição de 2015 da Mostra Internacional de Doces & Licores Conventuais.

“Temos uma boa relação com o chef Carlos Silva e sabíamos que as solicitações para comercializar o Pudim de Maçã de Alcobaça eram muitas. Decidimos, por isso, adquirir a patente e a receita e aproveitar a data da Mostra Internacional de Doces & Licores Conventuais para lançar o produto, que teve mais de um ano em testes de produção“, explica ao REGIÃO DE CISTER Nuno Luís, administrador da empresa, sediada em Casal dos Ramos. 

Disponível nos tamanhos de 450 e 900 gramas, o Pudim de Maçã de Alcobaça estará, para já, exclusivamente à venda na pastelaria de Alcobaça e na Granja de Cister, numa parceria feita com a Associação de Produtores de Maçã de Alcobaça e com a Cooperfrutas, que fornece os purés de fruta usados na confeção do produto.

Com mais de 20 anos de experiência no setor da pastelaria, a Doces da Carla investiu cerca de 50 mil euros, em duas fases de obras, no espaço que abriu este ano em Alcobaça. “Quando surgiu a oportunidade de ali abrirmos uma pastelaria fizemos tudo em contrarrelógio para ainda abrir o espaço antes do verão. Agora, em outubro, voltou a surgir a oportunidade de utilizar o espaço do lado, onde funcionava uma loja de roupa, e voltámos a fazer obras para disponibilizar aos clientes um espaço maior e mais confortável para estar quando chove ou está frio lá fora”, adiantou o empresário.

O número de lugares sentados no interior passou para o dobro – de 30 para 60 –, foi criada uma zona de brincadeiras para as crianças, as casas de banho foram adaptadas a pessoas com mobilidade reduzida, o espaço do armazém foi aumentado e a pastelaria ganhou mais uma vitrine. “O feedback tem sido muito bom. A maioria dos espaços comerciais no centro histórico são pequenos e com esta remodelação acabamos por suprir uma lacuna nesse aspeto”, considera Nuno Luís. Na esplanada, a pastelaria soma mais 72 lugares.