Hóquei: Coração trai jovem guardiã Catarina Viola

No espaço de poucos dias, a guardiã da equipa de juvenis da Biblioteca viu esfumar-se o sonho de poder vir a transferir-se para os sub-20 do Benfica, que, tal como outros clubes, tinha demonstrado interesse na atleta, e poder vir a ser chamada à Seleção Nacional, cujos responsáveis já a tinham referenciado. E tudo por causa de um problema no coração que a impede de continuar a praticar desporto de alta competição.

O coração traiu o sonho de Catarina Viola, mas não lhe retirou o sorriso e a rapariga que sempre jogou com os rapazes, não deixa de sorrir.

“Apesar de a situação ser complicada e do grande choque inicial, vim a perceber que não estou sozinha e que tenho tido o apoio de muitas pessoas”, diz a atleta, de 16 anos, a quem foi detetado um problema de saúde durante um exame de rotina.

“Custa muito deixar de jogar. Tenho um grande amor à modalidade, pois comecei a jogar desde os 4 anos, e quando estava a atingir os meus objetivos aconteceu-me isto. Estou triste, mas com todo o apoio que tenho tido, tudo fica mais fácil”, salienta Catarina Viola.

A Biblioteca já homenageou a guardiã e também o guarda-redes dos seniores decidiu fazer-lhe uma homenagem: até ao final da época, Ruca enverga a camisola de Catarina, com quem trabalhava durante a semana. “É uma menina muito especial e muito importante no clube. Tinha muita qualidade e pode ser que um dia volte a jogar”, vaticina o guarda-redes, que veste, com todo o orgulho, a camisola cor-de-rosa.