Hóquei: Leoas com sotaque alcobacense

O Sporting já deu a “stickada inicial” no hóquei feminino com muito sotaque alcobacense. As leoas serão comandadas pela alcobacense Andreia Barata (ex-Alcobacense) e integram no plantel as experientes turquelenses Cláudia Vicente (ex-Campo Ourique) e as gémeas Rute e Rita Lopes (ambas ex-Benfica).

“Para além de ser o meu clube e ser um sonho ter a oportunidade de o representar, considero um excelente projeto para o hóquei feminino, assim como uma excelente oportunidade para mim enquanto treinadora”, destacou a técnica, que iniciou a carreira no banco de suplentes em 2016, e que comandou o HC Stuart Massamá às meias-finais da Liga Europeia feminina há duas épocas.

E se a proximidade territorial poderia justificar as contratações das hoquistas turquelenses Andreia Barata esclareceu ao REGIÃO DE CISTER que curiosamente são as jogadoras com quem tem menos relação no grupo de trabalho. “Primeiro porque são de uma geração diferente da minha e depois porque jogámos sempre em clubes rivais”, salienta a antiga jogadora da Alcobacense.

De rivalidades são as gémeas Rute e Rita Lopes profundas conhecedoras. Desde 2013 que as irmãs representavam o Benfica, no qual conseguiram seis campeonatos nacionais, seis Taças de Portugal, seis Supertaças e uma Liga Europeia, na época 2014/15.

“O Sporting sempre foi o nosso clube do coração, o que facilitou a nossa mudança. O projeto que os leões apresentaram, com novos desafios, novas caras e novos objetivos também ajudaram à decisão”, destacou Rute Lopes.

No entanto, a pressão de terem rumado até ao outro lado da Segunda Circular não preocupa as internacionais. “Existe sempre a crítica por parte de quem não conhece o meio do hóquei feminino e por serem clubes rivais. Mas não somos profissionais da modalidade”, ressalvou Rute, destacando que, acima de tudo, durante os seis anos em que estiveram no Benfica respeitaram sempre o clube. “Temos de saber filtrar e focar no que realmente importa”, explica. “No Benfica fizemos grandes amizades que vão permanecer mesmo já não atuando na mesma equipa”, completa Rita.

Para a nova temporada, as experientes defesa e avançada traçaram os “objetivos de sempre”: tentar conquistar todas as competições em que a equipa leonina estiver inserida. “Se o conseguirmos, terão um sabor especial”, completa a jogadora formada no HC Turquel.

Menos experiente é a guarda-redes Cláudia Vicente, que integra agora o “maior projeto da carreira”. “Só posso dizer bem de todos os clubes em que estive, mas o facto de estar inserida numa equipa com a dimensão e objetivos do Sporting traz algo extra”, afirmou a jovem jogadora, de 20 anos, que alcançou o 5.º lugar pela Seleção Nacional no Mundial feminino em julho.

A guardiã, das escolas de formação do HC Turquel, está pronta para lutar pela titularidade. “O meu percurso teve várias etapas, nas quais ganhei a maturidade suficiente para assumir a baliza de um clube como o Sporting”, salienta a leoa.