Museu do Vinho de Alcobaça reabre com espaços requalificados

O Museu do Vinho de Alcobaça reabriu de “cara lavada” após ter estado quase três meses encerrado devido à pandemia. A paragem forçada foi aproveitada pela Câmara para avançar com obras de requalificação no edifício da destilaria e na Adega dos Balseiros.

Melhorar condições e acessibilidades aos visitantes e dar uma nova vida a algumas áreas do museu foram os principais objetivos desta primeira fase da empreitada, que arrancou em maio do ano transato.

A intervenção mais profunda da obra, avaliada em 460 mil euros, incidiu sobre o edifício composto pela destilaria e armazém das aguardentes, tendo resultado na criação de um complexo museológico. Também a Adega dos Balseiros foi alvo de obras de “melhoria estrutural do edifício”, nomeadamente na cobertura, fachada e acessos.

As obras deverão estar concluídas no próximo mês e os visitantes terão então a oportunidade de visitar o novo armazém,  a zona de destilaria e a adega. O desejo é inaugurar os novos espaços a 18 de maio, no âmbito das celebrações do Dia Internacional do Museu. “Faltam concluir pequenas questões de pormenor, mas tudo indica que a obra estará totalmente concluída em maio”, revela Alberto Guerreiro, museólogo na Câmara de Alcobaça.

Assim, a Adega dos Balseiros voltará a integrar o circuito habitual de visitas, mas a zona de destilaria passará a fazer parte de uma nova proposta do museu, direcionado para eventos e exposições. “É uma nova aposta que vai expandir e enriquecer a oferta do Museu. Vai acolher exposições temporárias e eventos mais alternativos”, explica o também coordenador da Rede de Museus Portugueses do Vinho.

O alcobacense Thierry Ferreira será o primeiro artista a expor no novo espaço museológico do Museu do Vinho de Alcobaça com uma mostra que deverá ser inaugurada a 17 de junho. “A exposição do escultor estará presente no novo armazém, nos jardins do Museu do Vinho e também no Parque Verde”, antecipa Alberto Guerreiro.

Não fosse a pandemia, 2020 teria possívelmente entrado para a história do museu como o ano que registou mais visitantes no primeiro trimestre. Porém, as visitas do espaço museológico caíram cerca de 80%, quebra justificada pelo decréscimo de venda de bilhetes e cancelamento de marcações de grupo. “À semelhança do panorama nacional, o Museu do Vinho de Alcobaça sofreu um penoso golpe no que refere à afluência de visitantes. No entanto, com a autorização de reabertura já há registo de agendamento de visitas... São boas notícias”, analisa o museólogo.

Com todas as medidas de segurança, com entradas gratuitas até 18 de maio e com novidades, o Museu do Vinho de Alcobaça está pronto para receber os visitantes de terça-feira a domingo.