Rotunda do Juncal embelezada com cesta de junco gigante

Quem passar pelo Juncal, mais precisamente pela rotunda que liga a vila ao concelho de Alcobaça, vai deparar-se com uma cesta de junco de grandes dimensões, adornada com outros elementos.

A obra é da autoria do artista Hélder Silva, que com recurso  a uma estrutura metálica no interior, revestida com fibra de vidro, construiu uma cesta com apenas uma aba, retratando o seu processo de produção.

“O objetivo é marcar a identidade da vila do Juncal”, sublinha o presidente da Câmara de Porto de Mós, em declarações ao REGIÃO DE CISTER. Esta é a primeira de um conjunto de obras que vai expor a identidade de todo o concelho. “Pretendemos fazer o mesmo nas restantes freguesias, de forma a afirmar a marca de cada uma delas”, avança Jorge Vala.

A obra do Juncal foi idealizada por Marco Lopes,  enquanto cumpria funções de presidente de Junta do Juncal. “O resultado final ficou tal como imaginei”, adianta o atual vereador da Câmara de Porto de Mós. “A ideia passa, sobretudo, por fazer uma homenagem à terra e a esta sua tradição e  ser um motivo de orgulho para os juncalenses”, sublinha Marco Lopes. “Quem por ali passa associa logo esta arte artesanal ao Juncal”, acrescenta.

Para o presidente da Junta do Juncal, esta obra representa a história da freguesia. “O nome Juncal vem de junco, logo faz todo o sentido mostrar uma das mais importantes tradições da freguesia”, nota João Carlos Ferreira. A requalificação da rotunda que dá acesso a Pataias e à Castanheira vai ficar totalmente concluída esta semana.

Além da recriação da cesta de junco na rotunda, foi também colocado junto à estrada um marco quilométrico, com a distância a percorrer até à vila de Porto de Mós. O próximo passo é instalar a mesma estrutura nas restantes estradas municipais  das respetivas freguesias do concelho. Estes marcos quilométricos vão ter um código QR com informação de todas as freguesias.

Juncal é conhecida por ser terra do junco, planta que cresceu com abundância nos terrenos, e deu origem ao nome da vila e, por essa razão, uma das mais importantes atividades artesanais foi o fabrico de cestas e de teares manuais. Tradição que passou a ser a imagem de marca do Juncal e que está agora recriada numa iniciativa do Município de Porto de Mós.

Também, ali bem perto, na aldeia de Castanheira, já no concelho de Alcobaça, se trabalha afincadamente o junco.