Quinta-feira, Fevereiro 9, 2023
Quinta-feira, Fevereiro 9, 2023

Pedro e Inês vão tapar armazéns em ruínas

Data:

Partilhar artigo:

Os amores de Pedro e Inês contam-se no interior do Mosteiro, mas em breve também no exterior deste monumento. Com o objetivo de “esconder” os armazéns em ruína da Rua D. Pedro V, a União de Freguesias de Alcobaça e Vestiaria projetou um conjunto de painéis que tem como tema a história dos eternos amantes para aquele nobre espaço da cidade. 

Os amores de Pedro e Inês contam-se no interior do Mosteiro, mas em breve também no exterior deste monumento. Com o objetivo de “esconder” os armazéns em ruína da Rua D. Pedro V, a União de Freguesias de Alcobaça e Vestiaria projetou um conjunto de painéis que tem como tema a história dos eternos amantes para aquele nobre espaço da cidade. 
Isabel Fonseca, presidente da Junta, disse ao REGIÃO DE CISTER que, através deste trabalho, a União pretende “devolver à Rua D. Pedro V a dignidade de uma das principais artérias junto ao Mosteiro”. Além disso, quer pôr em “prática a antiga ideia de vender a história de Pedro e Inês a todos os que visitam Alcobaça”. Por parte dos proprietários dos imóveis, que aceitaram a colocação dos painéis, apenas foi exigido a visualização dos desenhos antes da sua colocação.
Para que obra nasça, a União das Freguesias terá que recorrer a patrocínios privados. “Queremos que os desenhos sejam gravados em madeira por uma questão de beleza e durabilidade, mas temos consciência dos encargos. Face a isso, temos de recorrer a um misto público-privado”, explica Isabel Fonseca, acrescentando que, no futuro, se os armazéns forem demolidos ou requalificados, as gravuras podem ser removidas e transportadas para outros espaços da cidade, criando um roteiro histórico.
Os desenhos, que estão a ser efetuados com o máximo realismo, são da autoria do jovem Miguel Amaral, que está a tirar o curso na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. “Só posso estar grato por me terem escolhido e retribuir a confiança que depositaram em mim numa obra de arte ao nível de Alcobaça ou até que a possa elevar”, testemunhou o jovem artista. 
O historiador Rui Rasquilho, a pedido da União das Freguesias, está a acompanhar o jovem Miguel Amaral na elaboração dos desenhos. Será também responsável pela legendagem das imagens.
 

AD Footer

Artigos Relacionados

Três em um

#1 JANTAR DE AMIGOS Atualmente um jantar de amigos é algo que me põe nervoso. Há tanta coisa em questão...

José Inácio é o rosto do café que é “capital da imperial”

Corria o ano de 1968 quando José Inácio decidiu investir num estabelecimento no Silval. O nome dado ao...

Coleção de cerâmica projeta voz de Sónia Tavares

Uma peça de cerâmica pode ter várias formas, tamanhos e cores. E se lhe dissermos que também pode...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!