Terça-feira, Junho 18, 2024
Terça-feira, Junho 18, 2024

O presidente “escuta”

Data:

Partilhar artigo:

Foi a primeira vez que entrou na Junta vestido de escuteiro. Mas só porque “nunca calhou”. Leonel Ribeiro é presidente de Junta de Alfeizerão há dois anos, mas é escuteiro há quase três décadas. É, por isso, um presidente “escuta”.  

Foi a primeira vez que entrou na Junta vestido de escuteiro. Mas só porque “nunca calhou”. Leonel Ribeiro é presidente de Junta de Alfeizerão há dois anos, mas é escuteiro há quase três décadas. É, por isso, um presidente “escuta”.  

Atualmente é instrutor na 2.ª secção, ou seja, dos exploradores, mas já foi chefe de secção ou adjunto dos lobitos, dos espioneiros, dos exploradores e dos caminheiros. Tinha apenas 21 anos quando fundou o agrupamento 909 de Alfeizerão e se tornou chefe do agrupamento, cargo que ocupou durante nove anos. “Conhecia pouco mas achava que era um movimento interessante para a paróquia e para a freguesia“, recorda Leonel Ribeiro, escuteiro há 27 anos. 

Região de Cister - Assine Já!

Nos últimos anos, o presidente da Junta confessa que anda “um bocadinho baldas” do movimento. E percebe-se porquê. Desde que tomou posse na Junta, sucedendo à histórica Maria Natividade Marques, o instrutor só participou em duas atividades dos escuteiros, a última das quais, curiosamente, há poucos dias. “Dei uma mãozinha no acampamento de agrupamento, que decorreu em Alfeizerão, no dia 30 de maio,mas depois tive de ir à inauguração da Levada, em Alcobaça, e à noite de fados na Casa do Povo de Alfeizerão“, conta o autarca de 48 anos.

As “faltas” são ainda justificadas por outras duas razões: “Tenho um casalinho de gémeos há cerca de três anos e o tempo disponível é para eles“. Para completar o cenário, Leonel Ribeiro conheceu a esposa… nos escuteiros. Ela estava nos caminheiros na época em que Leonel Ribeiro era chefe de agrupamento. “Deu-me apoio na secção e depois acabou por dar para o resto da vida”, brinca o também ex-chefe de departamento do Núcleo do Oeste na 3.º secção. 

“É díficil largar os escuteiros porque foram muitos anos e o bichinho ainda cá está”, conta o autarca, para quem conviver com os jovens e as crianças é a principal motivação para continuar a vestir, com orgulho, a farda de escuteiro. 

E se o lema dos escuteiros é “tentar deixar o mundo um pouco melhor do que o encontrámos“, Leonel Ribeiro acredita que também pode deixar a sua marca na freguesia. “Tudo aquilo que aprendi com o escutismo, tenho conseguido pôr em prática enquanto presidente da Junta”, assegura. Presidente uma vez, escuteiro para sempre. O senhor presidente, escuta? 

AD Footer

Artigos Relacionados

Futsal: Dupla da Benedita conquista inédito tetracampeonato nacional

Os técnicos Nuno Dias e Paulo Luís, o primeiro residente na Benedita e o segundo natural da freguesia,...

GNR apreende 334 artigos contrafeitos em São Martinho do Porto

O Posto Territorial da Guarda Nacional Republicana (GNR) de São Martinho do Porto apreendeu, esta quinta-feira, em São...

Reportagem do REGIÃO DE CISTER ganha prémio nacional

A reportagem “Tornaram-se autênticos heróis na arte de cuidar dos (seus) heróis”, da autoria do jornalista Rafael Raimundo,...

Menopausa

A negligência na nossa vida reprodutiva, que já agora, só é valorizada quando podemos ter filhos, é uma...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!