Quinta-feira, Abril 18, 2024
Quinta-feira, Abril 18, 2024

Bugalho dá vida ao Ferro

Data:

Partilhar artigo:

As peças que Bugalho Ferros assina resistem incólumes às forças da natureza, à passagem do tempo e a todas as intempéries. O mesmo não se pode dizer do seu criador. Aos 69 anos, o artesão dá-se ao “luxo” de poder definir os horários em que trabalha e, esses, são definidos religiosamente pela meteorologia. 

As peças que Bugalho Ferros assina resistem incólumes às forças da natureza, à passagem do tempo e a todas as intempéries. O mesmo não se pode dizer do seu criador. Aos 69 anos, o artesão dá-se ao “luxo” de poder definir os horários em que trabalha e, esses, são definidos religiosamente pela meteorologia. Bugalho Ferros admite que só gosta de trabalhar com o “quente do sol” a aquecer-lhe as costas, na oficina localizada na Maiorga. Quando o tempo não está do seu agrado, o trabalho não lhe corre de “feição”, por isso é díficil encontrá-lo na sua oficina num dia chuvoso.

É num edifício muito antigo, que antigamente “servia como pecuária”, que Bugalho Ferros trabalha, ao sabor do tempo e do vento, peças em aço corten. Este material é uma liga de vários metais, tem propriedades anticorrosivas e é mais resistente que o habitual aço. Além disso, tem um aspeto avermelhado, cor de ferrugem. Um toque numa das peças de Bugalhos Ferro tira quaisquer dúvidas: o material não oxida, “nem em contacto com a maresia”, explica o artesão.

Região de Cister - Assine já!

O que também não deixa dúvidas é o trabalho do beneditense, que reside em Alobaça. Todas as peças são únicas e originais. E todo o processo, desde o corte, a soldadura e à lixadura, é feito pelo próprio na oficina. O artesão inspira-se no património da região e no “gosto pela natureza” para criar as peças, “que nascem quase por acaso” da inspiração de Bugalho Ferros.

O trabalho do artesão está exposto na região Oeste e não só. Há trabalhos em aço corten, com a assinatura do alcobacense, em países como Espanha, França e Holanda. No País, o artesão tem peças expostas em Pombal e no Bombarral. Quase sempre são peças de grandes dimensões, que atingem vários metros de altura e raramente pesam menos de uma tonelada. 

O exemplo mais recente do trabalho de Bugalho Ferros pode ser apreciado na Maiorga. Trata-se de um monumento de homenagem ao músico, encomendado pela Junta e pela Câmara e que está exposto no largo da Casa da Música daquela localidade. A clave de sol impressiona quem a vê com os seus três metros de altura e cerca de 20 toneladas de peso. Em estudo, está a possibilidade de o artesão produzir uma maçã, também com vários metros de envergadura, para embelezar uma das rotundas da cidade.

AD Footer

Artigos Relacionados

Dez estabelecimentos da região distinguidos no Guia “Boa Cama Boa Mesa” 2024

Cinco alojamentos e cinco restaurantes foram reconhecidos no Guia “Boa Cama Boa Mesa” 2024, publicado na passada sexta-feira...

Cartoon 18-04-2024

A incrível vida (depois da morte) de D. Inês de Castro e a sua pomba Pimba

O que é a liberdade para si?

Vejo muita gente a viver “presa” no que acredita ser uma vida livre. Já se perguntou o que...

“Projeto Água do Oeste” apresentado em Alcobaça

“Projeto Água do Oeste”. É este o nome do workshop que terá a primeira sessão já na próxima...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!