Quarta-feira, Julho 6, 2022
Quarta-feira, Julho 6, 2022

Ingleses criam associação para aprender história da região

Data:

Partilhar artigo:

Em Roma sê romano e, em Alcobaça … sê alcobacense. Que o digam Wilfrid e Norma Culshaw, Richard e Lynne Hartwell e John e Mary Miller que tentam, desde que têm residência oficial nos concelhos de Alcobaça e Nazaré há cerca de dez anos, aprender mais sobre os costumes da chamada região de Cister. 

Em Roma sê romano e, em Alcobaça … sê alcobacense. Que o digam Wilfrid e Norma Culshaw, Richard e Lynne Hartwell e John e Mary Miller que tentam, desde que têm residência oficial nos concelhos de Alcobaça e Nazaré há cerca de dez anos, aprender mais sobre os costumes da chamada região de Cister. 

A presença, cada vez mais comum, de imigrantes ingleses no País não é novidade. O que distingue estes casais é mesmo a “vontade e curiosidade” que têm em aprender sobre a cultura e a história de Alcobaça, da região e do País. Dizem que ao conhecer as “raízes” destas gentes se sentem mais integrados.

Para facilitar o contacto com outros ex-patriados e para desenvolver atividades e convívios para promover o conhecimento da história, Norma Culshaw e Richard Hartwell fundaram a Associação Cultural e Histórica de Portugal. A organização conta com 49 membros e está apenas “a começar”, estando aberta a “toda a gente” que queira saber mais. Por enquanto, procuram alguém que lhes possa ensinar mais sobre a história e cultura de Alcobaça.

Aprender sobre os costumes da região é, para Richard Hartwell, uma “forma de ver o mundo por outra perspetiva” e conhecer a “identidade alcobacense e portuguesa”, defende.

O clima, a comida, a segurança e o facto de ser um país barato trouxeram os seis ingleses a Portugal mas foi a história, a cultura que os “prendeu” à região, especialmente à chamada região de Cister. “Alcobaça abraçou-nos e recebeu-nos muito bem”, defende Norma Culshaw. De facto, os imigrantes sentem-se muito bem em Alcobaça, Vestiaria, São Martinho do Porto e Caldas da Rainha, locais onde vivem, e nem se deixam desanimar pela “imensa burocracia”.

Os Culshaw, Hartwell e Miller gostam de viver em Portugal e não ponderam regressar às origens. Aqui, sentem que fazem parte da comunidade e até já se habituaram ao “estilo de vida relaxado” do País que é, aponta Richard Hartwell, simultaneamente o melhor e o pior dos portugueses. Isso e a “forma como conduzem”, aponta, entre risos, Mary Miller. 

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Futebol: Ginásio fica pelas meias-finais no Inatel

O Ginásio caiu nas meias-finais do taça nacional da Fundação Inatel. Os azuis soçobraram na deslocação ao reduto...

Colisão entre motociclo e veículo ligeiro provoca um morto na Nazaré

Um homem, de nacionalidade inglesa, morreu esta segunda-feira na Nazaré, na sequência de uma colisão entre um motociclo...

Uma “tasca” em alta rotação movida a gasolina e… caracol

Costuma dizer-se que quem anda à velocidade do caracol não chega propriamente rápido ao destino. Mas, por paradoxal...

Jovem detido por furto a residência em São Martinho do Porto

Um jovem de 25 anos foi detido, no dia 29 de junho, por furto em interior de residência...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!