Segunda-feira, Dezembro 5, 2022
Segunda-feira, Dezembro 5, 2022

O poeta que sonha ser médico do INEM

Data:

Partilhar artigo:

Miguel Varela escreve poemas há pouco mais de um ano. Mas o surpreendente é que tem apenas 10 anos. Mais curioso ainda é que o alcobacense sonha ser… médico no INEM.
Os familiares do menino garantem que a ambição se deve “apenas à possibilidade de andar de carro a altas velocidades”.

Miguel Varela escreve poemas há pouco mais de um ano. Mas o surpreendente é que tem apenas 10 anos. Mais curioso ainda é que o alcobacense sonha ser… médico no INEM.
Os familiares do menino garantem que a ambição se deve “apenas à possibilidade de andar de carro a altas velocidades”. Por enquanto, o jovem vai dando os primeiros passos na poesia.

Tudo começou com uma amiga que lhe mostrou o poema “A Cor que se Tem”, da autoria de Maria Luísa Ducla Soares. Foi amor à primeira vista. Miguel Varela começou por interpretar os poemas da autora nos vários encontros dos Amigos das Letras, uma associação cultural de Alcobaça. Mais tarde, o alcobacense passou a preparar os poemas sozinho em casa e a apresentá-los junto do grupo, sempre com feedback positivo por ser a “mascote” da associação.

Região de Cister - Assine Já!

Só algum tempo mais tarde é que se aventurou pelo mundo da escrita de poesia. A motivação para a tentativa veio, nada mais nada menos, da própria… Maria Luísa Ducla Soares, autora que Miguel Varela teve a “sorte” de conhecer na primeira edição do festival Books & Movies, em 2014, quando a sua turma da escola participou numa atividade no âmbito da iniciativa.

Dito e feito. O jovem poeta dedicou algum do seu tempo para a escrita e já “produziu” duas obras. Uma sobre Coimbra, cidade onde nasceu, e outra sobre o próprio autor, que se descreve assim: “Pelos caminhos andarei/ Guiado por alguém/ De certo saberei/ Não julgar ninguém”. Por enquanto, o poeta escreve aos fins de semana para conseguir cumprir a meta estipulada pela professora de português: dois textos ou poemas por mês.

Na escola, Miguel Varela admite ter notas “razoáveis”, mas uma caligrafia que não é “muito famosa”. Os resultados escolares são sempre “positivos” mas o alcobacense é o primeiro a admitir que está sempre com a “cabeça no ar” e poderia ter melhores resultados se trabalhasse com mais afinco. Miguel Varela responde: “Quero na escola aprender/ Quero na escola crescer/ Pois um dia/ Doutor, eu irei ser!”. 

 

AD Footer

Artigos Relacionados

APFCAN reflorestou 200 hectares desde grande incêndio de 2017

A reflorestação da área florestal que se estende até ao mar nos concelhos de Alcobaça e Nazaré é...

Alunos da Escola D. Pedro I em projeto “Music and Sports” na Turquia

Ângelo Antanoa (9.ºC), Gonçalo Domingues (9.ºB), Simão Dias (9.ºC) e Simão Fernandes (9.ºA) foram os alunos da Escola...

Concerto de Toy levou um milhar de pessoas ao pavilhão dos Bombeiros da Benedita

O pavilhão dos Bombeiros da Benedita engalanou-se, na noite da passada sexta-feira, para receber o concerto de Toy....

HC Turquel aplica goleada e reafirma candidatura à subida de divisão

O HC Turquel goleou na receção ao HC Sintra (6-2), no passado sábado, e reafirmou a sua candidatura...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!