Domingo, Abril 14, 2024
Domingo, Abril 14, 2024

Quinta do Campo ganha floresta autóctone

Data:

Partilhar artigo:

A Associação de Produtores Florestais dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré (APFCAN), em parceria com a Câmara de Alcobaça, vai plantar cerca de 30 mil árvores na Quinta do Campo, localizada entre a Vestiaria e o Bárrio, para criar uma floresta autóctone de uso público. 

A Associação de Produtores Florestais dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré (APFCAN), em parceria com a Câmara de Alcobaça, vai plantar cerca de 30 mil árvores na Quinta do Campo, localizada entre a Vestiaria e o Bárrio, para criar uma floresta autóctone de uso público. O projeto foi apresentado, no passado dia 28 de novembro, por Marco Mendes, engenheiro florestal da APFCAN, adiantando que serão plantadas várias espécies de árvores como “pinheiro-manso, castanheiro, carvalho-alvarinho, carvalho-português, sobreiro, azinheira, azevinho, que é uma espécie protegida, e sequoias” no sentido de criar “uma paisagem florestal mais bonita e diversificada”.

Apesar de o resultado do projeto só ser visível “daqui a 20 anos”, Paulo Inácio mostrou-se muito satisfeito com a plantação de uma nova floresta no concelho. “São as próximas gerações que vão usufruir deste espaço, temos de pensar no futuro”, defendeu o presidente da Câmara. 

Região de Cister - Assine Já!

A futura mata da Quinta do Campo, que terá cerca de 38 hectares, começou a ser “construída” durante o verão passado, com o corte e alienação do eucaliptal que estava plantado “há muito tempo sem qualquer tipo de intervenção ou ordenamento” naquele local, explicou Marco Mendes.

No interior da mata, a APFCAN também procedeu a trabalhos de limpeza dos caminhos e trilhos já existentes, com o objetivo de criar condições para a circulação pedonal no interior da mata. A maior parte das 30 mil árvores já está plantada mas, ainda assim, o engenheiro florestal garante que os trabalhos de florestação vão continuar a decorrer nos próximos meses. 

A mata autóctone ganhará enfoque quando “enquadrada” com o projeto de mobilidade suave do Alcoa, que pretende ligar os concelhos de Alcobaça e da Nazaré com a criação de um trajeto nas margens do Rio Alcoa. Nos próximos anos, a autarquia vai “tratar” daquela zona e, através de uma “visão global turística e de natureza”, “ligar” também a mata à vila românica das Parreitas.

Futuramente os custos de manutenção da floresta da Quinta do Campo estão assegurados com a eventual alienação de “quatro hectares de eucaliptos”, uma espécie florestal altamente inflamável, que foram mantidos na mata para esse efeito.

AD Footer

Artigos Relacionados

Três mulheres identificadas pela PSP de Alcobaça por furtos em hipermercados

A Polícia de Segurança Pública (PSP) de Alcobaça intercetou e identificou, na passada terça-feira, dia 9 de abril,...

Circulação alternada de trânsito na EN362, no concelho de Porto de Mós

A EN362, na Ribeira de Cima, concelho de Porto de Mós, está a ser alvo de uma intervenção...

E se fôssemos um País de Poetas?

este mesmo ano em que celebramos os 500 anos do nascimento do nosso poeta maior, Camões, pergunto-me como...

Jüra nomeada para os prémios Play

Jüra está entre os nomeados da 6.ª edição dos Play – Prémios da Música Portuguesa. A cantora e...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!