Terça-feira, Novembro 29, 2022
Terça-feira, Novembro 29, 2022

Câmara estuda intervenção no saibro junto ao Mosteiro de Alcobaça

Data:

Partilhar artigo:

A Câmara de Alcobaça solicitou à Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) apoio técnico no sentido de encontrar uma alternativa para o saibro que foi instalado em 2005, num projeto dos arquitetos Gonçalo Byrne e João Falcão de Campos, no âmbito da requalificação da zona envolvente do Mosteiro.

 

A Câmara de Alcobaça solicitou à Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) apoio técnico no sentido de encontrar uma alternativa para o saibro que foi instalado em 2005, num projeto dos arquitetos Gonçalo Byrne e João Falcão de Campos, no âmbito da requalificação da zona envolvente do Mosteiro.

“Houve uma conversa e uma comunicação por escrito em resultado dessa conversa, a pedir aconselhamento técnico para que haja um entendimento. Queremos que nos digam qual é a melhor maneira de resolver o problema”, salientou Paulo Inácio, para quem existe “uma boa oportunidade” para resolver os problemas que se fazem sentir na Praça 25 de Abril e na Praça D. Afonso Henrique, “em conjunto com a DGPC e com o arquiteto”.

Região de Cister - Assine Já!

Em causa estão 8.000 m2 de saibro nas duas praças, que já foram instalados por duas vezes, mas cujos problemas estruturais permanecem. 

A falta de manutenção do piso foi apontada pelo vereador Carlos Bonifácio (CDS/PP) como a principal pecha da implantação do saibro, bem como a falta de aplicação de “uma cola que impediria a propagação do pó”. O antigo vice de Gonçalves Sapinho reconheceu que a aplicação do primeiro saibro “foi um erro”, mas considera que com o segundo os problemas podiam ter sido mitigados. A poeira já terá levado, inclusivamente, a própria diretora do monumento, Ana Pagará, a informar a tutela dos danos causados no monumento pelo pó, pelo que a DGPC pretenderá ajudar a resolver o problema.

Neste sentido, a autarquia admite a possibilidade de substituir o saibro por um pavimento em terraway, solução encontrada pela DGPC para instalar na antecâmara da Sala das Conclusões e que, do ponto de vista do impacto visual, mantém intacto o desenho do gabinete de Gonçalo Byrne. “Com algum esforço financeiro resolve-se este problema, mas apenas se for de forma estrutural”, reforçou Paulo Inácio.

Questionado por César Santos (PS) sobre a responsabilidade da manutenção do saibro, Paulo Inácio assumiu que pertence à Câmara, mas que pretende centrar energias a “pensar na solução estrutural” com a DGPC. “Percebemos a intenção do arquiteto, de proporcionar um revivalismo, o contacto com a terra, mas há impactos que têm de ser corrigidos”, frisou o chefe do executivo.

AD Footer

Artigos Relacionados

Hélder Roque assume direção clínica das clínicas do Grupo H Saúde

Hélder Roque é o novo diretor clínico da Clínica das Olhalvas- Leiria, da Policlínica Central da Benedita e...

Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou aos palcos três anos depois

Depois de cerca de três anos com a atividade suspensa, a Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou...

Degustação de vinhos e sabores locais apreciada por 1 milhar de pessoas no Vimeiro

A “I Degustação de vinhos e sabores da terra”, evento promovido pelo Círculo de Arte, Cultura e Desporto...

Ana Pagará reconduzida como diretora do Mosteiro de Alcobaça

Ana Pagará foi reconduzida no cargo de diretora do Mosteiro de Alcobaça, para uma comissão de serviço de...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!