Sexta-feira, Dezembro 2, 2022
Sexta-feira, Dezembro 2, 2022

Ceeria e UFAV dão “Cravos” à poetisa Virgínia Vitorino

Data:

Partilhar artigo:

A praça em frente ao Centro de Emprego de Alcobaça, na Rua 16 de Outubro, entrou na lista das mais poéticas da cidade. O soneto “Cravos”, escrito pela poetisa alcobacense Virgínia Vitorino, foi a inspiração para o painel instalado na lateral de um dos prédios da rua, constituído por 630 azulejos e desenvolvido ao longo de um ano por um grupo de utentes do Centro de Educação Especial, Reabilitação e Integração de Alcobaça (Ceeria) e pela ceramista Paula Teresa.

A praça em frente ao Centro de Emprego de Alcobaça, na Rua 16 de Outubro, entrou na lista das mais poéticas da cidade. O soneto “Cravos”, escrito pela poetisa alcobacense Virgínia Vitorino, foi a inspiração para o painel instalado na lateral de um dos prédios da rua, constituído por 630 azulejos e desenvolvido ao longo de um ano por um grupo de utentes do Centro de Educação Especial, Reabilitação e Integração de Alcobaça (Ceeria) e pela ceramista Paula Teresa.

A inauguração do mural evocativo dos 50 anos da morte de Virgínia Victorino, que decorreu no passado dia 12, serviu também para desafiar o poder local a “realizar mais homenagens na cidade a uma das personagens femininas mais importantes de Alcobaça”.

Região de Cister - Assine já!

“Nos grandes projetos há quem tenha a ideia, quem arranje forma de avançar e quem a concretize”, fez notar a presidente da União das Freguesias de Alcobaça e Vestiaria (UFAV), na cerimónia, sublinhando o “orgulho” em colaborar com as demais entidades na concretização de um “projeto que não só irá embelezar a cidade como recordará uma mulher de tamanha importância para Alcobaça, para a poesia e para todos os portugueses”.

Jorge Pereira de Sampaio, responsável pelo Museu de Cerâmica de Alcobaça – Coleção Pereira de Sampaio, entidade parceira na organização da iniciativa, recordou a “vitória” de Virgínia Vitorino através da poesia numa época “em que a mulher era silenciada, sem direito ao voto”. “Esta mulher deve e tem de ser recordada todos os dias. Por isso lanço aqui o desafio ao poder local, aos alcobacenses e até ao Ceeria de criar mais momentos de homenagem a Virgínia. Quer através de painéis, para embelezar a cidade, quer através de colóquios. Acredito que nunca será demais recordar quem tanto merece”, sublinhou o alcobacense. 

Já o presidente do Ceeria não escondeu o orgulho nos “artistas” que “ajudaram a levar o Ceeria para a comunidade, a abrir mentalidades e a demonstrar que pessoas com deficiência são capazes de criar arte”. “Este é também um momento de reconhecimento para um artista que muitas vezes não tem o devido reconhecimento”, notou José Belo, referindo-se a José Luís Borda.

O painel foi criado por dez utentes do Ceeria, no âmbito das atividades ocupacionais das oficinas de expressão plástica, em colaboração com a ceramista Paula Teresa e José Luís Borda. A iniciativa está inserida no âmbito das comemorações dos 50 anos da morte de Virgínia Vitorino, tuteladas pela ADEPA.

AD Footer

Artigos Relacionados

APFCAN reflorestou 200 hectares desde grande incêndio de 2017

A reflorestação da área florestal que se estende até ao mar nos concelhos de Alcobaça e Nazaré é...

Alunos da Escola D. Pedro I em projeto “Music and Sports” na Turquia

Ângelo Antanoa (9.ºC), Gonçalo Domingues (9.ºB), Simão Dias (9.ºC) e Simão Fernandes (9.ºA) foram os alunos da Escola...

Concerto de Toy levou um milhar de pessoas ao pavilhão dos Bombeiros da Benedita

O pavilhão dos Bombeiros da Benedita engalanou-se, na noite da passada sexta-feira, para receber o concerto de Toy....

HC Turquel aplica goleada e reafirma candidatura à subida de divisão

O HC Turquel goleou na receção ao HC Sintra (6-2), no passado sábado, e reafirmou a sua candidatura...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!