Domingo, Novembro 27, 2022
Domingo, Novembro 27, 2022

O segredo doce do Café Ferreira

Data:

Partilhar artigo:

A sua origem é assunto para horas de debate e o ponto perfeito da massa consegue ser uma dor de cabeça. Seja como for, o pão de ló do Café Ferreira, em Alfeizerão, enche de felicidade os gulosos de todo o País. O que não admira, pois o fabrico é uma arte dominada pela mesma família desde 1927.

 

A sua origem é assunto para horas de debate e o ponto perfeito da massa consegue ser uma dor de cabeça. Seja como for, o pão de ló do Café Ferreira, em Alfeizerão, enche de felicidade os gulosos de todo o País. O que não admira, pois o fabrico é uma arte dominada pela mesma família desde 1927.

É com orgulho que Fátima Rodrigues se apresenta como a quinta geração a liderar o negócio de família e recorda o percurso da empresa. “A minha bisavó, Amália Grilo, começou a fabricar o bolo, ocasionalmente, no início do século XX, mas só em 1927 é que o fabrico começou a ser explorado a nível industrial com a criação da sociedade SA Ferreira”, recorda a gerente. A sociedade viria a ser extinta em 1947, ano em o Café Ferreira abriria portas ao público. “A minha bisavó batalhou muito para erguer esta casa. Foram anos de obras e o edifício que vemos nos dias de hoje foi conseguido com muito esforço”, . Na última metade de século XX, o negócio foi gerido por membros duas gerações da família Ferreira, incluindo a sociedade formada em 1997 por Fátima Rodrigues, um irmão e uma prima para assumir o negócio. “Atualmente faço a gestão sozinha. Assumi a responsabilidade de gerir o negócio e, embora por vezes não seja fácil, sou e fui muito feliz aqui”, confessa.

Região de Cister - Assine já!

Quase um século depois da primeira fornada com o selo “Casa Ferreira” e, apesar dos avanços do setor e da tecnologia, é com orgulho que Fátima Rodrigues revela que “na cozinha Ferreira não existem farinhas pré-fabricadas às quais basta só acrescentar água”. “Os ingredientes são frescos e não poderia ser de outra de forma, uma vez que esta receita requer que se mantenha os ingredientes originais”, sublinha. É certo que o bolo já não é “batido” manualmente e já não requer um dia inteiro de fabrico, mas é com a ambição de manter a qualidade que a empresária não planeia expandir a produção a nível nacional. “Já tive convites para produzir para além-fronteiras, mas isso iria implicar alterar a receita para manter a conservação e não quero”, reitera. 

Para a gerente esta é também uma forma de “obrigar” o cliente a uma nova visita. “Há pessoas que vêm do Algarve pelo pão de ló. Igual a este não há em outro lugar e é bom ver que retornam pela nossa tradição”, declara Fátima Rodrigues. 

O futuro do negócio de família preocupa Fátima Ferreira tanto quanto o passado. Mas a inquietação em estar “à altura” das antepassadas e a responsabilidade de garantir a continuidade da tradição não lhe tiram o sono. Ambiciona renovar o espaço para dar mais destaque ao pão de ló e aos utensílios históricos utilizados pelos familiares no fabrico da iguaria, “mas cada coisa a seu tempo”. “O futuro do negócio só o tempo dirá”, afirma com tranquilidade, recordando com “coração apertado de saudade” a mesa repleta de familiares ao canto no Café Ferreira. “É, em todos os sentidos, um negócio de família”, conclui.

AD Footer

Artigos Relacionados

Hélder Roque assume direção clínica das clínicas do Grupo H Saúde

Hélder Roque é o novo diretor clínico da Clínica das Olhalvas- Leiria, da Policlínica Central da Benedita e...

Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou aos palcos três anos depois

Depois de cerca de três anos com a atividade suspensa, a Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou...

Degustação de vinhos e sabores locais apreciada por 1 milhar de pessoas no Vimeiro

A “I Degustação de vinhos e sabores da terra”, evento promovido pelo Círculo de Arte, Cultura e Desporto...

Ana Pagará reconduzida como diretora do Mosteiro de Alcobaça

Ana Pagará foi reconduzida no cargo de diretora do Mosteiro de Alcobaça, para uma comissão de serviço de...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!