Sábado, Novembro 26, 2022
Sábado, Novembro 26, 2022

Paulo Inácio tranquiliza moradores de praias do Norte do concelho

Data:

Partilhar artigo:

O presidente da Câmara de Alcobaça assegurou, esta sexta-feira, apoio incondicional aos proprietários de habitações em Água de Madeiros e Vale Furado que podem ver as habitações destruídas na sequência da entrada em vigor do Programa de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Alcobaça-Cabo Espichel.

O presidente da Câmara de Alcobaça assegurou, esta sexta-feira, apoio incondicional aos proprietários de habitações em Água de Madeiros e Vale Furado que podem ver as habitações destruídas na sequência da entrada em vigor do Programa de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Alcobaça-Cabo Espichel.

“O relatório [do POOC] tem três cenários: um em que nada se faz, outro que defende a intervenção nas arribas e um outro que leva à deslocalização das habitações. Mas este é um plano de intervenção de 4 a 50 anos, que já estava, de alguma forma, no anterior POOC. O que dita a experiência é que documentos que falam de 4 a 50 anos, que manda milhões para o ar, não são para ser levados muito a sério”, salientou Paulo Inácio no final da Assembleia Municipal, perante uma plateia de moradores, proprietários e amigos daquelas duas praias.

Região de Cister - Assine Já!

O autarca do PSD lamentou o “alarmismo” criado em torno desta situação, sublinhando que “pode haver preocupação é em 1% das pessoas que não têm a casa minimamente legal”. “A informação que tenho é que está quase tudo legalizado. Se o Estado arranjasse mesmo o dinheiro tinha de indemnizar as pessoas e nem nos próximos 50 anos isto vai ser feito. Nos próximos 10 não será com certeza”, frisou o chefe do executivo municipal, notando que “Está tudo em aberto, como sempre esteve”.

Por proposta da bancada do PS, a Assembleia Municipal de Alcobaça tinha determinado a constituição de uma comissão de acompanhamento do caso, que contará também com a União de Freguesias de Pataias e Martingança.

Durante a Assembleia, um grupo de moradores daquelas praias do Norte do concelho realizaram uma vigília, admitindo a possibilidade de vir a formar uma associação. O grupo já tinha marcado presença na Assembleia de Freguesia de Pataias e Martingança para solicitar o apoio da União de Freguesias na resolução do problema e reunido nos Bombeiros de Pataias. “Este é um movimento que surgiu de forma espontânea”, frisou Nélson Oliveira, um dos moradores.

AD Footer

Artigos Relacionados

Hélder Roque assume direção clínica das clínicas do Grupo H Saúde

Hélder Roque é o novo diretor clínico da Clínica das Olhalvas- Leiria, da Policlínica Central da Benedita e...

Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou aos palcos três anos depois

Depois de cerca de três anos com a atividade suspensa, a Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou...

Degustação de vinhos e sabores locais apreciada por 1 milhar de pessoas no Vimeiro

A “I Degustação de vinhos e sabores da terra”, evento promovido pelo Círculo de Arte, Cultura e Desporto...

Ana Pagará reconduzida como diretora do Mosteiro de Alcobaça

Ana Pagará foi reconduzida no cargo de diretora do Mosteiro de Alcobaça, para uma comissão de serviço de...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!