Sexta-feira, Abril 19, 2024
Sexta-feira, Abril 19, 2024

Agressor de companheira fica em prisão domiciliária

Data:

Partilhar artigo:

Um homem, de 38 anos, ficou em prisão preventiva, na sequência do primeiro interrogatório judicial, relacionado com a prática do crime de violência doméstica agravada contra a companheira. Os factos ocorreram a 29 de dezembro na residência do casal, no concelho de Alcobaça, na presença da filha menor.

Um homem, de 38 anos, ficou em prisão preventiva, na sequência do primeiro interrogatório judicial, relacionado com a prática do crime de violência doméstica agravada contra a companheira. Os factos ocorreram a 29 de dezembro na residência do casal, no concelho de Alcobaça, na presença da filha menor.

Segundo o Ministério Público, o homem entrou na habitação em claro estado de embriaguez e iniciou uma violenta discussão com a vítima, dirigindo-lhe “palavras ofensivas, humilhantes e intimidatórias”. Com o intuito de escapar a uma “nova e quase certa agressão física”, a vítima refugiou-se num quarto da habitação com a filha menor. O arguido abandonou a residência, regressando algum tempo depois para instigar uma nova discussão na sequência da qual partiu vários objetos presentes na residência.“Quando a vítima o confrontou com a sua atitude, o arguido desferiu-lhe um murro no maxilar direito e um murro no nariz (provocando-lhe uma fratura no maxilar e outra nos ossos do nariz), abandonando o local de seguida”, afirma a acusação.

Região de Cister - Assine Já!

Perante o rol de acusações, o arguido foi condenado pela prática de vários crimes, designadamente, de ofensa à integridade física, ameaça, injúria, roubo e condução de veículo em estado de embriaguez. Como medidas de coação, o tribunal determinou que o arguido deve permanecer na habitação dos pais, monitorizado através de meios técnicos de controlo à distância, estando ainda proibido de se aproximar e de contactar, por qualquer meio, com a vítima.

O agressor deve, ainda, rea­lizar um tratamento médico referente a dependência alcoólica e frequentar curso para agressores de violência doméstica. Enquanto não forem instalados os meios de vigilância eletrónica e até ao início da sua execução, o tribunal decidiu manter o arguido regime de prisão preventiva. 

AD Footer

Artigos Relacionados

Dez estabelecimentos da região distinguidos no Guia “Boa Cama Boa Mesa” 2024

Cinco alojamentos e cinco restaurantes foram reconhecidos no Guia “Boa Cama Boa Mesa” 2024, publicado na passada sexta-feira...

Cartoon 18-04-2024

A incrível vida (depois da morte) de D. Inês de Castro e a sua pomba Pimba

O que é a liberdade para si?

Vejo muita gente a viver “presa” no que acredita ser uma vida livre. Já se perguntou o que...

“Projeto Água do Oeste” apresentado em Alcobaça

“Projeto Água do Oeste”. É este o nome do workshop que terá a primeira sessão já na próxima...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!