Quarta-feira, Outubro 5, 2022
Quarta-feira, Outubro 5, 2022

Fundação Vida Nova cria “Ponto de Encontro Familiar”

Data:

Partilhar artigo:

 Através do projeto, a instituição particular de solidariedade social, sediada em Alcobaça, pretende ajudar famílias e jovens do concelho em situação de risco, devidamente identificadas pelo Ministério Público ou pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ).

A Fundação Vida Nova tem em funcionamento uma nova valência: Centro de Apoio Familiar e de Aconselhamento Parental (CAFAP). Através do projeto, a instituição particular de solidariedade social, sediada em Alcobaça, pretende ajudar famílias e jovens do concelho em situação de risco, devidamente identificadas pelo Ministério Público ou pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ).

“A criação de um projeto direcionado ao restabelecimento dos vínculos familiares no concelho de Alcobaça já era uma ambição com sete anos. Foi feita uma sugestão à Segurança Social, mas entretanto as burocracias alteraram-se e atrasou-se todo o processo”, revela ao REGIÃO DE CISTER a diretora técnica da instituição. A assinatura do protocolo com o Centro Distrital de Leiria do Instituto da Segurança Social, que permitiu a implementação da valência na modalidade de “Ponto de Encontro Familiar”, decorreu em outubro e, desde então, a equipa constituída por uma assistente social, uma educadora social, uma psicóloga e um mediador familiar, iniciou o processo de formação. “São profissionais devidamente formados, obviamente, mas frequentaram outra formação mais direcionada ao modo de atuação num CAFAP”, sublinha Ana Reis.

Segundo a mediadora familiar e educadora social, a ação do CAFAP inicia-se com uma fase de avaliação, através de uma entrevista individual aos pais. “Através da entrevista tentamos entender qual o constrangimento. Por vezes há problemas na guarda partilhada e na troca do menor. Nesses casos o ponto de encontro serve de espaço neutro e idóneo para a permuta, estando salvaguardado o bem-estar da criança”, explica Vitória Monteiro. Contudo, “cada caso é um caso” e o objetivo é resolver os problemas inerentes da dissolução do seio familiar, através de um acompanhamento dos progenitores até ao momento em que seja cómodo para ambos discutir, tranquilamente, assuntos relacionados com o filho.

AD Footer

Artigos Relacionados

Veio ter comigo hoje a poesia

Hoje a poesia veio ter comigo em forma de notícia e não poema. Um de nós, um dos...

Peões causam perigo no atravessamento da EN242 na Nazaré

O perigo para peões e automobilistas na Estrada Nacional 242, entre a rotunda do Pavilhão Municipal e a...

Livro enaltece maior produtora de garrafas do País há 80 anos

Mais do que um livro sobre uma fábrica de garrafas, a obra do historiador Tiago Inácio, apresentada no...

Rui Morais na administração do Teatro Nacional de São Carlos

Há um alcobacense na nova administração do Organismo de Produção Artística (Opart), que gere o Teatro Nacional de...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!