Quinta-feira, Julho 7, 2022
Quinta-feira, Julho 7, 2022

Ludinete: a loja de decoração que nasceu com o 25 de Abril

Data:

Partilhar artigo:

A Ludinete, loja de decoração de interiores em Alcobaça, foi uma consequência da Revolução dos Cravos. Meses após o 25 de Abril de 1974, Odete Leal partiu à “aventura” e abriu um espaço comercial… na Praça 25 de Abril, “com peças únicas e com alma alcobacense”.

A Ludinete, loja de decoração de interiores em Alcobaça, foi uma consequência da Revolução dos Cravos. Meses após o 25 de Abril de 1974, Odete Leal partiu à “aventura” e abriu um espaço comercial… na Praça 25 de Abril, “com peças únicas e com alma alcobacense”.

A proprietária da loja já tinha alguma experiência atrás do balcão quando foi desafiada a abrir um negócio próprio. “Ainda o País se estava a habituar à nova realidade pós-25 de Abril quando o meu marido viu que a loja estava disponível e me aliciou a criar o meu negócio”, recorda a alcobacense. O espaço amplo e a localização com vista privilegiada para o Mosteiro de Alcobaça ajudaram na decisão. O peculiar nome da loja resulta da conjugação do nome dos elementos da família Leal. “Ludinete é a união do nome do meu marido, Luís, da minha filha mais velha, Diana, e do meu nome [Odete]”, explica a empresária, revelando que batizou a segunda filha com o nome de Patrícia Luís para que ela não se sentisse excluída do acrónimo da loja.

Nos primeiros anos de atividade, a Ludinete dedicou-se ao comércio de faqueiros, serviços em porcelana e cristal e decoração de utilidade. Contudo, o decréscimo da procura destes itens obrigou à alteração da oferta. “Comecei a perceber que as pessoas já não compravam serviços completos. Os tempos mudam e quem quer sobreviver tem de seguir a onda”, graceja Odete Leal. A mudança dos produtos deu origem a uma nova fase na Ludinete, que hoje em dia tem as prateleiras repletas de peças de decoração para gostos mais requintados, artigos de artesanato local e ainda molduras, flores e espelhos feitos à medida do cliente. As peças em exposição foram escolhidas “a dedo” pela proprietária do espaço, que deseja ter artigos mais exclusivos e, deste modo, garantir uma experiência única ao cliente. “Quero que as pessoas saiam da loja satisfeitas por terem encontrado a peça que idealizavam. É também meu desejo que comprem produções locais e que levem um pouco do artesanato de excelência que tanto se faz em Alcobaça”, argumenta.   

Com as portas abertas há quase meio século, a Ludinete conta já com “clientes da casa”, que, segundo Odete Leal, visitam a loja para comprar um presente “único e de qualidade” para um amigo ou até para si próprios. “Temos clientes de Alcobaça, mas recebemos também muitos turistas, que visitam a cidade e que não hesitam em entrar na loja para conhecer um pouco mais do comércio local”, revela.

  Apesar dos vários desafios do comércio local, é com “enorme satisfação” que a lojista abre as portas todos os dias. E até que a força lhe falte, esse é um hábito que pretende continuar a fazer por vários anos. “As minhas filhas têm a sua carreira e as suas vidas. Ficaria feliz se quisessem continuar com o espaço, mas em primeiro lugar está a felicidade e a concretização pessoal”, afirma Odete Leal. “Esta loja foi a minha missão de vida e tenho um enorme carinho por tudo o que aqui vivi”, acrescenta. E, se dúvidas restam, basta entrar no número 78 no rossio da cidade e encontrar o sorriso da proprietária desta casa com muita história.

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Central-periférica abre portas em Alcobaça a artistas em situação de risco

Um dos edifícios do centro histórico de Alcobaça está a dar “teto” a artistas internacionais. É ali, mais...

Dois detidos por tentativa de furto a residência em Famalicão

O Comando Territorial de Leiria, através do Posto Territorial da Valado dos Frades, deteve esta terça-feira dois homens...

Futebol: Ginásio fica pelas meias-finais no Inatel

O Ginásio caiu nas meias-finais do taça nacional da Fundação Inatel. Os azuis soçobraram na deslocação ao reduto...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!