Quarta-feira, Outubro 5, 2022
Quarta-feira, Outubro 5, 2022

Uso dos parques de campismo cai para mais de metade

Data:

Partilhar artigo:

A reabertura dos parques de campismo é uma realidade em toda a região, depois de quase três meses de encerramento devido à pandemia da Covid-19. 

A reabertura dos parques de campismo é uma realidade em toda a região, depois de quase três meses de encerramento devido à pandemia da Covid-19.

O desconfinamento dos equipamentos veio acompanhado de medidas suplementares de higienização dos espaços comuns, mas também da obrigatoriedade de cuidados redobrados por parte dos utilizadores. Em alguns casos, a lotação caiu para mais de metade.

No Parque de Campismo de Paredes da Vitória, com oito hectares, a reabertura total ocorreu a 1 de junho, depois de a 18 de maio o equipamento ter recomeçado a funcionar para os proprietários de lotes. Campistas e caravanistas tiveram de esperar até ao primeiro dia de junho. Mantém-se encerrado o parque infantil. Os utentes têm de desinfetar as mãos à entrada e utilizar máscara em áreas comuns.

Com as fronteiras com Espanha encerradas até ontem, a lotação do parque da União de Freguesias de Pataias e Martingança sofreu um decréscimo de mais de 70% comparando a igual período de 2019, explicou ao REGIÃO DE CISTER o responsável da Junta pelo equipamento. “Temos 35 pessoas no parque, das quais apenas uma não é portuguesa e aqui ficou porque não conseguiu sair do País quando rebentou a pandemia”, refere Célio Coelho, habituado a receber, nesta época do ano, espanhóis, holandeses, franceses, belgas, alemães e eslovenos.

Com 11 funcionários no Parque de Paredes da Vitória, entre rececionistas, funcionários de limpeza e vigilantes, a Junta continuou a assegurar os vencimentos, mas fez descontos aos utentes, sendo que nos lotes a redução foi de 50% em abril e 20% em maio e os caravanistas tiveram de pagar 25% do valor total durante os meses de encerramento.

No Parque de Campismo Baía Azul, em São Martinho do Porto, e apesar dos pedidos de cerca de 60 dos 300 utentes, a Junta, que gere o equipamento, não procedeu a qualquer redução, lembrando tratar-se de um bem não-essencial e que aquela autarquia teve de assegurar as despesas inerentes à manutenção do espaço, bem como os vencimentos dos colaboradores.

A reabertura do espaço deu-se em junho para os lotes, campistas e caravanistas, passando a capacidade de 3.300 para pouco mais de 2.000 lugares. “Só no final do ano poderemos avaliar o impacto nas receitas face a anos anteriores”, esclarece o presidente da Junta, Joaquim Clérigo.

Na região, reabriram todos os parques de campismo, públicos e privados, à exceção do Acampamento Baptista, em Água de Madeiros, que deverá retomar atividade em 2021. Entre os parques disponíveis está o Colina do Sol (localizado na Serra dos Mangues, a dois quilómetros da baía de São Martinho e com acesso pedestre à Praia da Gralha), o Orbitur Valado (concelho da Nazaré), o camping OHAI Nazaré Resort e o parque de Campismo Rural da Silveira (à saída de Alcobaça, nos Capuchos).  

AD Footer

Artigos Relacionados

Livro enaltece maior produtora de garrafas do País há 80 anos

Mais do que um livro sobre uma fábrica de garrafas, a obra do historiador Tiago Inácio, apresentada no...

Rui Morais na administração do Teatro Nacional de São Carlos

Há um alcobacense na nova administração do Organismo de Produção Artística (Opart), que gere o Teatro Nacional de...

Amor de mãe replicado num café com mais de meio século

Estamos no Casal da Ponte. O Café da Anita é um referência na localidade da freguesia de Alfeizerão....

Enduro: David Guerra festeja conquista da Taça de Portugal

David Guerra (RÓÓDINHAS/Master Vantagem) venceu, este dia 24, a Taça de Portugal de enduro, no escalão M45, depois...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!