Quarta-feira, Outubro 5, 2022
Quarta-feira, Outubro 5, 2022

Taberna e mercearia do Abel é espaço “mágico” há 43 anos

Data:

Partilhar artigo:

Quem se desloca à Taberna e mercearia do Abel, em pleno centro da Pederneira, poderá beber um café, levar aquele produto de primeira necessidade que está em falta em casa e ainda assistir a um espetáculo de magia e comédia. É que na única taberna que ainda persiste na Pederneira, Abel Calixto brinda regularmente os clientes com truques de magia e com anedotas, garantindo que naquela casa não faltam as histórias e as gargalhadas.

“Comecei este negócio com a minha mulher há 43 anos. O espaço ia ser trespassado e decidimos comprar”, conta ao REGIÃO DE CISTER Abel Calixto, que deixou a profissão de construtor civil para se dedicar à taberna e à mercearia. “Acordo todos os dias pelas 5 da manhã para abrir portas às 6:30 horas”, revela o empresário, que partilha o negócio com a mulher Maria Adília Calixto. O casal vive na casa por cima da taberna e mercearia.

Assim que abre o estabelecimento, os primeiros clientes não demoram a chegar para comprar pão e “marmita” para o lanche da manhã. “Há pessoas que diariamente vêm aqui e este é um estabelecimento feito pelas pessoas que o frequentam”, sublinha o pederneirense, relembrando amigos do concelho de Alcobaça que ali se deslocam frequentemente.

Apesar de vender vários cafés, copos de vinho e produtos essencias de mercearia, o proprietário lamenta que os tempos de hoje já não sejam os de antigamente. “Hoje em dia já vendemos muitos menos, as pessoas já não têm dinheiro e consomem muito pouco”, desabafa Abel Calixto, de 71 anos, recordando os tempos em que ainda vendia fiado. “Eram épocas diferentes e era tudo muito boa gente, fossem de cá ou fossem trabalhadores de fora que aqui vinham regularmente”, nota.

O estabelecimento, sobejamente conhecido por pederneirenses, nazarenos e até palecos, guarda também memórias familiares. “Foi aqui que cresci, a jogar à bola na rua e a brincar com os meus amigos. Fiz amizades para a vida”, revela Silvano Calixto, filho de Abel, que de vez em quando dá uma ajuda aos pais. A Taberna e merceraria do Abel foi ainda palco de jogos de sueca, damas e outros jogos tradicionais.

O pederneirense diz não temer os tempos de crise que aí possam vir e assegura que enquanto puder vai continuar a tirar cafés e a servir copos de vinho aos clientes de sempre.

“Aqui os clientes são tratados pelo nome”, assevera o dono do estabelecimento que tem ainda a particularidade de ser a última taberna em atividade na Pederneira. Certo é que quem lá passa não passa sem conhecer um dos truques e anedotas que Abel Calixto tem sempre na “manga”. Mesmo quando a visita é do REGIÃO DE CISTER.

AD Footer

Artigos Relacionados

Rui Morais na administração do Teatro Nacional de São Carlos

Há um alcobacense na nova administração do Organismo de Produção Artística (Opart), que gere o Teatro Nacional de...

Amor de mãe replicado num café com mais de meio século

Estamos no Casal da Ponte. O Café da Anita é um referência na localidade da freguesia de Alfeizerão....

Enduro: David Guerra festeja conquista da Taça de Portugal

David Guerra (RÓÓDINHAS/Master Vantagem) venceu, este dia 24, a Taça de Portugal de enduro, no escalão M45, depois...

Empresas representam pedra da região em feira internacional do setor

Oito empresas dos concelhos de Alcobaça e de Porto de Mós do setor da pedra natural participaram, durante...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!