Segunda-feira, Junho 24, 2024
Segunda-feira, Junho 24, 2024

Adega de Alcobaça quer aumentar volume de vinhos engarrafados

Data:

Partilhar artigo:

A Adega Cooperativa de Alcobaça quer crescer em volume dos vinhos engarrafados, de forma a tornar o negócio mais rentável. Nos últimos três anos, foram feitos investimentos avultados juntamente com os associados com a meta de colocar os vinhos Levadas e Montes à frente dos Pé da Serra, maioritariamente comercializados em bag-in-box. 

A Adega Cooperativa de Alcobaça quer crescer em volume dos vinhos engarrafados, de forma a tornar o negócio mais rentável. Nos últimos três anos, foram feitos investimentos avultados juntamente com os associados com a meta de colocar os vinhos Levadas e Montes à frente dos Pé da Serra, maioritariamente comercializados em bag-in-box. 

“Temos crescido cerca de 30% ao ano em vinhos engarrafados, mas o ideal é crescer nesse segmento em cerca de 60 a 70% para que o volume de negócios seja compatível com as necessidades da casa”, revela ao REGIÃO DE CISTER o enólogo da cooperativa.   

Região de Cister - Assine Já!

“No bag-in-box não temos margem de crescimento de preço, a concorrência é muito feroz e não temos sequer volume para dar seguimento à procura”, acrescenta Rodrigo Martins, defendendo que a “única forma” de crescer é apostar nos vinhos engarrafados. Hoje em dia, num volume de produção entre os 300 e 400 mil litros, o Pé da Serra representa 70% e os Levadas e Montes cerca de 30%. “Num curto espaço de tempo temos de inverter isto”, reitera o enólogo.

Os últimos investimentos feitos pela Adega Cooperativa de Alcobaça já preveem, aliás, um aumento no volume de produção desses vinhos. “Há três anos toda a parte da fermentação e vinificação foi remodelada, num investimento de cerca de 100 mil euros”, explica Rodrigo Martins. Além disso, um grupo de 14 associados reconverteu as vinhas e plantou castas recomendadas pela Adega com o objetivo exclusivo de fazer vinhos engarrafados. “É com base neste grupo que queremos fazer a inversão e usar em exclusivo esta produção para os vinhos engarrafados e a restante para os vinhos Pé da Serra”.  

Com vinhos exportados para Londres (a primeira vez este ano) e para a China, a Adega tem-se afirmado no setor, nos últimos anos, através da qualidade e da inovação. “O único caminho possível é através da diferenciação de produto, mantendo e melhorando a qualidade dos vinhos que já temos, dando ênfase aos vinhos engarrafados e criando novidades”, reitera Rodrigo Martins. Os resultados têm permitido, assim, olhar para “a Adega como um pequeno produtor” nacional made in Alcobaça.

Push-up é novidade deste ano

Recentemente, a Adega Cooperativa de Alcobaça adicionou mais um produto ao seu portfólio: um push-up para a marca Levadas. “Colocámos no mercado no início do mês de agosto mais um produto inovador”, adianta o enólogo da cooperativa. “É uma forma mais descontraída de beber vinho. Começámos com o rosé e o branco porque há possibilidade de colocar no frio e depois transportar para onde a pessoa for, seja para um piquenique ou para a piscina”, explica Rodrigo Martins. Foram produzidos, para já, 1500 litros de cada (branco e rosé).

 

AD Footer

Artigos Relacionados

Construção de nova ponte do Rio da Areia está (finalmente) no terreno

Há dois anos e meio que não há forma de atravessar o Rio da Areia, em Valado dos...

Lucas Ribeiro viverá primeira aventura no andebol espanhol

O Atlético Valladolid é o novo clube do pataiense Lucas Ribeiro, ele que deixa o Póvoa AC, da...

Ausência de candidaturas motiva comissão admistrativa nos Bombeiros da Benedita

Estava marcada para a passada sexta-feira uma assembleia geral para a eleição de uma nova Direção da Associação...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!