Fátima Duarte pondera avançar para a liderança do PSD/Nazaré

Fátima Duarte revelou ao REGIÃO DE CISTER que está a “ponderar” candidatar-se às eleições para a Comissão Política Concelhia da Nazaré do PSD. A deputada municipal admite que está a estudar a elaboração de uma lista às próximas eleições internas, mas salienta que aquela decisão “está dependente de alguns fatores profissionais, pessoais e partidários.”

A antiga vereadora lidera, para já, o único movimento interno em torno da sucessão de Joaquim Pequicho, o qual anunciou, há dias, a saída da presidência da Concelhia da Nazaré, dias depois das eleições para a Distrital de Leiria do PSD, que Rui Rocha venceu.

Numa nota de agradecimento enviada aos militantes, o antigo delegado regional do IPJ recordou as duas décadas ao “serviço do PSD, dos seus dirigentes e dos seus militantes, com a máxima dedicação e disponibilidade”, considerando que “chega ao fim” esse ciclo. “Saio com sentido de dever cumprido, certo que é tempo de dar lugar a novas vozes, novas caras e novos projetos”, sublinha o deputado municipal, que garante que continuará a exercer o “direito de cidadania como militante de base e a contribuir, nessa qualidade e numa postura de lealdade, para a dignificação do partido”.

Joaquim Pequicho foi líder da JSD/Nazaré e assessor do vice-presidente da Câmara, Reinaldo Silva, tendo assumido, em diversas ocasiões ao longo dos últimos 20 anos, a liderança da Concelhia. 

As últimas eleições locais do partido realizaram-se em 2016, não havendo ainda uma data marcada para o próximo ato eleitoral, que se torna particularmente relevante dado que será a próxima Comissão Política que escolherá os candidatos do PSD às autárquicas de 2021. 

Há dois anos, o partido obteve um dos piores resultados de sempre no concelho, ficando-se pelos 25,19% (1.801 votos), apesar de se ter coligado com o Movimento NazaréViva e o Grupo de Cidadãos Independentes do Concelho da Nazaré. A coligação A Força da União elegeu apenas dois vereadores, Alberto Madaíl e António Trindade, originários das duas formações políticas de independentes, deixando, desse modo, o PSD de ter representantes no executivo municipal.