Grutas de Mira de Aire reabrem este sábado

Encerradas desde o dia 15 de março, as Grutas de Mira de Aire têm, finalmente, autorização do Governo para reabrir este sábado. 

O anúncio foi feito numa audição na comissão parlamentar de Comunicação e Cultura, pela secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural em resposta à deputada portomosense do PSD Olga Silvestre, que questionava sobre o facto de as grutas, nomeadamente as de Mira de Aire, ainda estarem encerradas. Lembrando que as grutas são “o único equipamento cultural que falta abrir, pelas razões que se tornam óbvias, que tem que ver com oxigenação e circulação de ar”, Ângela Ferreira informou que recebeu um parecer favorável da Saúde em relação à reabertura das grutas. 

A medida do Governo em manter as grutas nacionais, regionais e municipais, públicas ou privadas fechadas ao público tem causado milhares de euros de prejuízo a este empreendimento de Mira de Aire, numa fase do ano em que o setor mais tem procura. “Entre o período de 15 de março e 15 de junho do ano passado recebemos 41 mil turistas”, contextualiza o presidente do Conselho de Administração das Grutas de Mira de Aire, em declarações ao REGIÃO DE CISTER.

Com 18 funcionários em layoff, Carlos Alberto Jorge considera que este longo período de encerramento não teve justificação uma vez que já tinham sido tomadas anteriormente todas as medidas necessárias para a reabertura. Além de estarem certificadas com o selo “Clean & Safe”, as Grutas de Mira de Aire receberam um investimento de cerca de 30 mil euros em equipamentos de desinfeção. 

“Nos restantes países da Europa as grutas já retomaram a atividade”, sublinha o responsável que até à data reabriu apenas o alojamento local e o restaurante do complexo. “O número de visitantes tem sido pouco significativo”, lamenta. “A grande âncora do nosso turismo são as grutas”, recorda Carlos Jorge. 

As Grutas de Mira de Aire são as maiores grutas do País e são consideradas uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal. No ano passado receberam 138.770 visitantes. “Este encerramento está a afetar muito o turismo da região”, salienta o empresário. “Os visitantes vinham de propósito visitar as grutas e acabavam por ir conhecer outros locais”, acrescenta.

A suspensão desta atividade tem vindo a causar indignação além fronteiras. A Associação de Grutas Turísticas de Espanha já veio demonstrar o seu desagrado através de um comunicado face a esta realidade do setor em Portugal. Além disso, os deputados do PSD eleitos por Leiria já tinham questionado a ministra da Cultura sobre a reabertura das Grutas de Mira de Aire. Os sociais-democratas questionaram a “razão da não autorização para a reabertura e a data prevista da retoma da atividade”.“Não se justifica manter o encerramento das grutas, atendendo a que todos os museus, monumentos e imóveis equiparados estão abertos ao público”, argumentaram.