Maria de Lurdes Resende eternizada em painel de arte urbana em Alcobaça

A União das Freguesias de Alcobaça e Vestiaria (UFAV) celebrou cinco anos, mas a prenda foi para Maria de Lurdes Resende, que está agora “eternizada” na fachada lateral de um prédio, localizada na Rua Afonso Lopes Vieira, junto aos campos de ténis, num painel de arte urbana.

A cantora que levou Alcobaça aos quatro cantos do mundo eternizando os versos “Quem passa por Alcobaça não passa sem cá voltar” foi a principal homenageada nas comemorações do 5.º aniversário da UFAV, que decorreram a 29 de outubro. 

A pintura do painel de arte urbana foi iniciada no dia em que a autarquia assinalou o aniversário e passados cinco dias, o mural, da autoria de Daniel Eime, ficou pronto. O artista plástico aceitou o desafio de “tentar transformar uma fotografia de Maria de Lurdes Resende numa pintura, sem que perdesse a identidade”, explicou secretário, da UFAV. “É um painel exuberante pela criatividade e pela sua dimensão”, acrescentou Bruno Rego. 

Com letra de Silva Tavares e música do compositor José Belo Marques, o tema foi um dos maiores sucessos de Maria de Lurdes Resende. “A canção de Alcobaça é sem dúvida um dos nossos mais importantes valores pela homenagem que presta a todo o nosso território e a toda a nossa gente. Era inevitável iniciar este percurso relembrando-a e afirmando-a”, frisou a presidente da UFAV. “Nenhum outro teve ou tem o alcance da música interpretada por Maria de Lurdes Resende”, acrescentou Isabel Fonseca, no final da Assembleia de Freguesia extraordinária, que decorreu na Biblioteca Municipal e que antecedeu a inauguração do painel. 

Na impossibilidade de estar presente, Maria de Lurdes Resende enviou uma carta à UFAV. “Não imaginam como estou feliz com esta vossa homenagem, Alcobaça é a minha terra do coração e também a canção que estará sempre ligada à minha carreira e à minha vida”, palavras da cantora, de 91 anos, lidas na voz da presidente da UFAV num vídeo de homenagem à cantora. 

O grafiti de Maria de Lurdes Resende será, aliás, o primeiro de um conjunto de painéis urbanos que a UFAV quer desenvolver ao longo dos próximos dois anos na cidade. “Uma única história não faz jus ao que somos”, considerou Bruno Rego, assumindo a vontade do executivo em avançar com mais painéis em Alcobaça e na Vestiaria que mostrem aos visitantes e turistas a história da freguesia através da arte.

O certo é que quem passa por Alcobaça, não passa sem voltar, agora também para ver o painel de arte urbana de Maria de Lurdes Resende.