Terça-feira, Julho 5, 2022
Terça-feira, Julho 5, 2022

Enfermeiro apresenta terapia inovadora

Data:

Partilhar artigo:

João Araújo podia ser apenas mais um enfermeiro que todos os dias, e de forma nobre, dedica os seus dias aos outros. Quis ir mais além e criou, em 2011 em conjunto com outros colegas de profissão – Rafael Alves e Nídia Salgueiro -, o IGM-Portugal (Instituto Gineste-Marescotti). Trocando por miúdos: a empresa tem uma terapia inovadora para doenças neurológicas, desenvolvendo uma metodologia mais económica e não-farmacológica.

João Araújo podia ser apenas mais um enfermeiro que todos os dias, e de forma nobre, dedica os seus dias aos outros. Quis ir mais além e criou, em 2011 em conjunto com outros colegas de profissão – Rafael Alves e Nídia Salgueiro -, o IGM-Portugal (Instituto Gineste-Marescotti). Trocando por miúdos: a empresa tem uma terapia inovadora para doenças neurológicas, desenvolvendo uma metodologia mais económica e não-farmacológica.

O IGM-Portugal dá formação a profissionais de lares de idosos e unidades de cuidados para que estes possam desempenhas as suas funções seguindo o metódo Humanitude. Além disso, propõe uma abordagem diferente: “Olhemos para os sofrem destas doenças como pessoas”, tendo em conta que a luta contra o alzheimer e outras doenças neurológicas assenta em tratamentos dispendiosos cuja a eficácia é muito variável.

“Cuidar em Humanitude”, explica João Araújo, “é ir ao encontro de outro compreendendo os seus anseios, respeitando-o na sua integridade humana, motivando-o para a relação e potenciando as capacidades que tem. Cuidar em Humanitude é colocar mais profissionalismo no ato de cuidar”.
Neste momento, o IGM já está a trabalhar no CEERIA. O projeto já está também a criar raízes em Fátima, Lisboa, Alcácer do Sal. A prestação de cuidados mais afetivos permite uma economia na ordem dos 1500 euros em medicamentos e outros consumíveis. Em alguns casos, relata o enfermeiro, a poupança já atingiu os três mil euros.
Através desta metodologia, avança João Araújo, as “pessoas sentem-se melhores, mais relaxadas e confortáveis o que faz com que alguns tratamentos sejam administrados com menos regularidade. Tudo isto traz vantagens para os pacientes e para as instituições que os acolhem”.
Os resultados vão ser apresentados, pelo enfermeiro, dia 14 de novembro, no Colóquio Internacional de Abordagens Não-Farmacológicas de Alzheimer, no qual participam 900 profissionais de todo o mundo.

AD Footer
spot_img

Artigos Relacionados

Colisão entre motociclo e veículo ligeiro provoca um morto na Nazaré

Um homem, de nacionalidade inglesa, morreu esta segunda-feira na Nazaré, na sequência de uma colisão entre um motociclo...

Uma “tasca” em alta rotação movida a gasolina e… caracol

Costuma dizer-se que quem anda à velocidade do caracol não chega propriamente rápido ao destino. Mas, por paradoxal...

Jovem detido por furto a residência em São Martinho do Porto

Um jovem de 25 anos foi detido, no dia 29 de junho, por furto em interior de residência...

Duas empresas de Alcobaça distinguidas como “Gazela 2021”

A construtora A.B. Inácio, LDA, sediada na Benedita, e a fabricante HC - Caixilharia LDA, localizada na Cela...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!